Como nutrir e abraçar os sonhos das crianças? - Pumpkin.pt

Como nutrir e abraçar os sonhos das crianças?

sonhar e nutrir sonhos

Hoje e sempre, é importante relembrar de que matéria somos feitos: de sonhos.

Eles não sabem que o sonho
É uma constante da vida

Manuel Freire resumiu na perfeição a importância dos sonhos na sua eterna música “A Pedra Filosofal”, e num momento em que estamos todos tão assustados com o que nos espera num mundo pós-covid, mais do que nunca faz sentido dar espaço ao sonho, à esperança e à busca de um futuro mais promissor. E esse futuro começa em nossa casa, com as nossas abobrinhas.

Por isso, trazemos 4 conselhos para ajudar as nossas crianças a alcançar os seus sonhos – porque um dos nossos papéis como pais é precisamente esse, o de lhes dar asas para voar!

Como nutrir e abraçar os sonhos das crianças?

Não limitar

A dificuldade que, como pais, sentimos em incentivar os sonhos dos nossos filhos começa na sua incapacidade de distinguir aquilo que é alcançável do que é impossível.

Problema nosso, que nos colocamos limites invisíveis. Para as crianças, tudo é possível e ainda bem. Se os limitamos com frases como “isso é muito difícil”, “as árvores são verdes, não roxas” ou “os meninos/as meninas não podem brincar com determinado brinquedo”, estamos a criar crianças que terão medo de se expressar, que se tornam conformistas, sem aspirações, influenciáveis e com uma auto-estima mais baixa.

Afinal, quem é que se fortalece ao ser questionado constantemente? Se, por outro lado, lhes dermos espaço para explorar a sua imaginação, estamos a abrir caminho a realidades e sonhos diferentes.

Incentivar

incentivar os sonhos

Mais do que não limitar as crianças, cabe-nos, como educadores, oferecer-lhe ferramentas para sonhar.

Ajudem-nas a sentirem-se importantes, ensinem-nas a recortar, a desenhar, a brincar com plasticina ou outras massas de modelar (o chão limpa-se depois). Deixem à vista livros com histórias sobre profissões diferentes, optem por brinquedos que lhes permitam fazer role play, ou seja, assumir diferentes papéis – e se um menino quiser brincar com bonecas, qual é o problema? Saberá com certeza ser um bom pai, no futuro.

Nesta fase, em que as crianças não podem socializar com os pares nas escolas, onde é mais fácil acontecerem as brincadeiras pai-mãe, mãe-filho, médico-doente, é importante que nós como pais estejamos disponíveis para entrar na brincadeira e assumir os papéis complementares ao brincar das abobrinhas. Ou seja, brinquem com os vossos filhos – muito. Depois, há outras coisas que também podem fazer.

Se a criança gosta de animais, levem-na a visitar uma quinta pedagógica, permitam-lhe interagir com eles de perto, a saber-lhes o cheiro e as reações. Se a vossa menina adora inventar, falem-lhe de cientistas mulheres que tiveram a coragem de mudar o mundo e levem-na a exposições. Se o vosso filho passa a vida a pintar paredes, optem por oferecer-lhe marcadores laváveis e deixem-no personalizar t-shirts, móveis, até as paredes do próprio quarto.

Permitam-lhes que se entusiasmem com coisas que nos parecem pequenas, que aprendam que há muito com que contribuir e ajudar, mesmo na sua idade. Não deixem de elogiá-las, mas também de as incentivar a destacar aquilo de que mais positivo veem em si. Conversem muito, perguntem-lhes de que gostam, o que querem fazer.

Ao dar-lhes palco, estamos, também, a sublinhar-lhes valor – o que fará com que continuem a explorar-se, a conhecer-se, e a descobrir o seu papel no mundo com confiança.

E lembrem-se: nenhum sonho é pequeno ou insignificante. Abraçar um urso é algo muito importante (mesmo que corramos o risco de por ele ser devorado, depois, mas poupem-nos dessa parte).

Mostrar

A infância é a idade esponja – o momento em que as crianças absorvem e adoptam todos os comportamentos que observam nas figuras de referência.

Pais que criam novos projetos, que são empreendedores, que encontram tempo para expressar a sua criatividade desenhando, escrevendo, preparando um bolo ou fazendo brinquedos com materiais recicláveis são um exemplo de adultos sonhadores que deixarão na criança o bichinho do “querer sempre mais”.

E para esse, não há insecticida forte o suficiente para o conter.

Nutrir

dia do leite

Como pais, a nossa tarefa é nutrir os sonhos dos nossos filhos, mas também precisamos de dar-lhes ferramentas práticas para que cresçam saudáveis e felizes para os alcançar.

Uma alimentação saudável, que lhes permita desenvolver força e manter o cérebro activo, é fundamental para que se tornem adultos com objectivos e vontade de os agarrar.

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (4 votes, average: 4,50 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *