Família > Crescer > Desenvolvimento

Bullying: o que é e como lidar?

bullying

Dia 20 de Outubro assinala-se o Dia Mundial do Combate ao Bullying.

Nesta data tão importante, partilhamos este texto do Portugal Bullying, cuja mensagem não podemos deixar de sublinhar. Pais e professores podem encontrar neste portal material para descarregar e poder ser utilizado pelas escolas, numa forma de promover a consciência entre as abobrinhas.

Hoje é o dia mundial de combate ao Bullying.

Sabemos o que o Bullying é? Fazemos ideia das consequências do bullying? Sabemos distinguir um agressor de uma vítima? Conseguimos traçar perfis tipo para cada um deles?

A todas estas questões provavelmente todos dizemos que sim, pois de Bullying já todos percebemos, já todos, de uma forma ou de outra, ouvimos falar, sabemos o que é e até já lermos sobre, por isso, essa história do Bullying outra vez?…

Sim, outra vez. Pois falar de Bullying é muito mais que isto. Por vezes esta palavra, carregada de um simbolismo negativo, de uma banalização perigosa, faz com que desvalorizemos questões que necessitam de ser pensadas, olhadas e revisadas.

Falar de tudo isto é falar de nós, do que sentimos, do que vivemos, do que nos motiva, do que nos alegra, entristece, enfim é falar dos nossos sentimentos mais profundos, é conectarmo-nos com as emoções, pois sem emoção não funcionamos, ou melhor, podemos funcionar, mas convenhamos, não é a mesma coisa.

Somos seres de emoções, somos seres de razão, somos seres de contradição, mas somos seres de paixão.

E a paixão é o que nos move, o que sedimenta as relações e é o que nos liga aos outros. Sermos pais é a maior paixão e o maior amor que experimentamos, é o saber que até dói de tanta emoção, o sentir que o nosso coração “cresce” tanto que parece impossível…  como foi possível tão facilmente nos apaixonarmos por aquele petiz que, num ápice, revolucionou a nossa vida, a transformou num corrupio, num vendaval, numa tempestade eminente, e que já não a concebemos sem tudo isto? Como isto aconteceu?

A casa que era arrumada, organizada, silenciosa, calma, passou a parecer um carrossel, um parque de aventuras, a ter um ruído constante e por vezes ensurdecedor, mas que, mesmo assim, por mais que praguejemos, que brademos aos céus, que queiramos silencio e calma, jamais pomos em questão voltar a ser tudo como era. Vá lá, uns dias ansiamos por isso, mas se for permanente, nem pensar, queremos o barulho, a confusão, a vida agitada e buliçosa de volta.

O que nos aconteceu? Os pequenos apanharam-nos, estamos ligados pelas suas emoções.

Então, por mais que os nossos filhos cresçam, por mais que estes impulsos dos primeiros anos refreiem, não se esqueçam, estamos ligados pelas emoções, portanto, fale-lhes disso, não deixe de se emocionar, de rir, de chorar, de falar sobre as suas dificuldades, dos seus medos e das suas lutas para os vencer. Das batalhas que venceu, das derrotas que enfrentou, enfim do que tem feito pela sua vida.

Neste dia mundial de combate ao bullying não se esqueça de se ligar às suas emoções mais básicas e de as partilhar com os seus filhos, parentes mais próximos, vizinhos, comunidade em geral.

Ligarmo-nos mais ao outro torna-nos mais atentos, disponíveis e solidários, e lembre-se: o melhor combate é a prevenção.

bullying

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *