Família > Crescer > Desenvolvimento

As Palavras-Chaves da Parentalidade Positiva

As Palavras-Chaves Parentalidade Positiva

Barrigas de Amor e a Oficina de Psicologia contam-nos quais as palavras chaves para uma parentalidade positiva.

Quando falámos em parentalidade falámos numa experiência única e indescritível na vida de uma pessoa, que tem o poder de dar um novo significado e simbolismo à vida de cada pai e mãe. Mas a parentalidade também traz consigo uma série de desafios que invadem os pais de dúvidas e inseguranças que fazem com que na cabeça dos pais surja muito frequentemente a famosa questão: “ Serei eu um/a bom/boa pai/mãe?” A insegurança é, sem dúvida alguma, mais do que legítima e acima de tudo, uma enorme prova de sentido de responsabilidade e de uma grande vontade de desempenhar o melhor possível o papel de pai e mãe.

Mas quais serão então os segredos, as palavrinhas chave de uma parentalidade positiva?Aqui ficam as principais:

Amor: esta é obviamente a palavra principal. O ser humano, como ser afectivo que é, precisa de amor e de carinho! Esta é a base do ser-se pai ou mãe.

São os laços afectivos, o carinho que ajudam a criança a expressar adequadamente as suas emoções, a estabelecer relações positivas com os outros, a desenvolver uma auto-estima e um autoconceito positivos, aspectos que são essenciais para a socialização e bem-estar psicológico ao longo da vida.

Não: pois é! A palavra “não” é essencial na educação das crianças. O “não” é sinónimo de “limites”, “regras” e estes são imprescindíveis para que a criança saiba regular e ajustar os seus comportamentos.

A sociedade vive regida por normas, por limites que têm de ser cumpridos para que exista harmonia. Na educação parental não é diferente! A criança precisa de saber quais são as regras e limites que existem, para que desta forma não se sinta perdida e insegura e possa adoptar comportamentos ajustados/desejados, sabendo assim aquilo que é esperado dela.

Consistência: este é outro dos segredos da parentalidade positiva. É muito importante que ao estabelecer alguma regra ou ao dizer algo à criança, haja firmeza e consistência. Quando disser “sim” a alguma coisa, procure de facto manter a sua posição e não contrariar aquilo que disse.

O mesmo se aplica às situações em que diz não. Se disser que não dá aquele brinquedo que a criança tanto quer e depois ceder acabando por dar, a criança irá interiorizar que as suas decisões podem sempre mudar e futuramente irá insistir e ter comportamentos como birras ou amuos até que ceda novamente.

Elogio: este é um aspecto essencial na educação parental! Se a consistência ajuda a criança a perceber que os limites são bem definidos e isso ajuda a que não faça birras para conseguir que volte com a palavra atrás, o elogio, por seu turno, ajuda a criança a repetir comportamentos positivos no futuro.

Se a criança for elogiada sempre que tiver um comportamento considerado desejável ou adequado, sentir-se-á valorizada e isso fará com que no futuro procure adoptar o mesmo comportamento.

Brincarser pai/mãe implica ter tempos de qualidade com os filhos. Brinque com eles, façam jogos animados, divirtam-se todos juntos em família. Isto fará com que por um lado, esteja a promover o seu desenvolvimento e interação social e, por outro lado, esteja a fortalecer laços afectivos e segurança aos seus filhos, que aprenderão que os pais estão sempre lá, que são presentes e disponíveis em todas as circunstâncias das suas vidas.

Desafiante? Sem dúvida que sim! Mas nunca se esqueça que também é extremamente recompensador!

Sandra Azevedo | Psicóloga Clínica

Oficina de Psicologia

Oficina da psicologia LOGO

 

Barrigas de Amor