Família > Crescer > Desenvolvimento

As crianças e a auto-estima

Crianças e a autoestima

Qual é o segredo das crianças felizes?

Na sociedade em que vivemos é predominante um discurso de crítica negativa e de punição, de desvalorização da recompensa e do elogio (quer o elogio a nós próprios, quer aos outros).

A psicóloga Sara Loios, do CRESCER – Centro de Psicologia da Família, da Criança e do Adolescente fala-nos da importância de um discurso mais positivo.

Os exemplos seguintes são situações e verbalizações por vezes tidas pelos pais e cuidadores, as quais podem magoar ou entristecer as crianças:

Criticar constantemente as crianças em frente a outras pessoas, quer sejam outras crianças ou adultos: “Pareces mesmo um .. já te disse que não é assim que se faz…”;

Contar os segredos das crianças a outras pessoas, de uma forma que as faça sentirem-se humilhadas: “Sabiam que ele ainda faz xixi na cama?”;

Pedir com insistência às crianças para desempenharem um determinado papel perante os outros: “Anda lá, canta aquela música que cantaste há bocado, para a avó ouvir!”;

Esquecer os nomes dos amigos das crianças, ou confundi-los;

Estar sempre a colocar perguntar de uma forma crítica e negativa: “Já arrumaste os brinquedos, ou não é para hoje?”“Vais chorar outra vez porque tens que ir dormir, como fizeste ontem?”;

Criticar as brincadeiras da criança: “Não sei como é que gostas de jogar esse jogo, que brincadeira mais tonta…”;

Desvalorizar ou não compreender os medos das crianças: “Tens medo do escuro, mas porquê? Se o escuro não faz mal a ninguém…”.

Neste sentido, e de forma a colmatar esta realidade e preparar as crianças para o futuro, torna-se extremamente importante a utilização do elogio e da expressão de sentimentos positivos na educação, para que a criança sinta que é amada e valorizada, e assim aprenda a gostar de si própria.

Algumas sugestões de comportamentos que pode adotar de forma a promover a autoestima dos seus filhos:

  • Brinque com o seu filho e deixe que seja ele a orientar a brincadeira;
  • Demonstre interesse e orgulho pelas conquistas que o seu filho vai alcançando;
  • Evite fazer comparações entre o seu filho e outras crianças, seja o irmão/irmã ou outro colega;
  • Perante situações de insucesso ou mau comportamento, opte por criticar a ação e não a criança. Por exemplo em vez de dizer “portaste-te mal, não gosto mais de ti”, opte por dizer “portaste-te mal, esse comportamento é muito feio”;
  • Elogie as capacidades do seu filho em frente de pessoas significativas para ele.

A forma como a criança se define, ou seja, a sua autoestima, irá influenciar as suas motivações, atitudes e comportamentos, afetando o seu equilíbrio emocional. Uma autoestima positiva, além de desempenhar um papel muito importante na nossa felicidade, protege-nos contra os insucessos na medida em que uma pessoa com uma autoestima positiva irá ter menos tendência a desvalorizar-se face a um desempenho menos bom em alguma tarefa.

Além do mais, uma criança com uma imagem positiva de si própria, acredita nas suas capacidades e competências, evitando deste modo ansiedades em relação ao desconhecido.

Crescer não é fácil. Nem para os filhos, nem para os pais ou cuidadores. É perfeitamente natural que possa sentir dificuldades na desafiante tarefa que é educar os seus filhos. Se tiver alguma dúvida ou precisar de algum tipo de apoio ou aconselhamento, contacte-nos. O Aconselhamento Familiar é um tipo de intervenção que visa apoiar e facilitar o funcionamento familiar,  procurando fornecer metodologias e estratégias facilitadoras da tarefa educativa, com o objetivo de diminuir as dificuldades e melhorar o bem-estar da criança ou adolescente em ambiente familiar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *