Família > Crescer > Desenvolvimento

A Hora de Adormecer

Hora Adormecer

A Oficina de Psicologia traz-nos algumas sugestões uteis para ajudar as crianças a adormecer e a dormir tranquilos e sem interrupções.

A partir do final do 1º ano de vida, a maior parte das crianças já dorme a noite inteira.

Mas, bem sabemos que, não poucas vezes, este sono é bruscamente interrompido. Os responsáveis por este fenómeno poderão ser os pesadelos, os terrores noturnos, as alterações de rotina ou acontecimentos inesperados e angustiantes.

Pedir ao corpo para adormecer significa pedir-lhe que relaxe de tal forma que os sensores de alerta ao perigo fiquem quase inativos.

Ora, isto só será possível (ou até razoável) quando temos a certeza que os riscos que corremos são mínimos. Precisamos de nos sentir seguros e tranquilos. Confiantes de que tudo estará igualmente calmo e tranquilo quando acordarmos. Com as crianças, o mesmo se passa.

Foquemo-nos nos “monstros debaixo da cama!” que aparecem subitamente e deixam a criança muito aflita e amedrontada.

Ou pensemos naqueles “vilões” que aparecem nuns “sonhos maus e assustadores!”.

Embora não os vejamos, é importante que possamos compreender que, naquele momento, para aquela criança, os monstros e os vilões existem.Estão lá e são assustadores.

Se for mais fácil, podemos pensar que também os adultos têm noites menos tranquilas. Muitas vezes acordam sobressaltados por qualquer preocupação. Também aqui, o corpo dá um sinal de alerta que nos faz despertar.

Mas, como podemos tornar o sono dos “pequenos” mais tranquilo?

Bem sabemos que, entre vidas agitadas, o final de dia resulta num período de cansaço extremo (para pais e filhos).

A comunicação sai prejudicada e, na tentativa bem-intencionada de procurar o momento de descanso, nenhuma estratégia parece funcionar.

Então, deixamos algumas sugestões que podem ser úteis:

Estabelecimento de rotinas ao deitar. Pode ser importante criar uma sequência de tarefas, repetidas diariamente, na aproximação ao momento de adormecer (vestir o pijama, ir à casa de banho, lavar os dentes, contar uma história – por exemplo). Isto criará uma sensação de previsibilidade na criança que lhe permite tranquilizar-se.

Preparação do momento de adormecer. As atividades/tarefas escolhidas devem ser pouco estimulantes. O corpo precisa de, progressivamente, ir relaxando.

Sintonia e tranquilidade entre os pais. Embora o cansaço possa dificultar esta tarefa, é importante que a criança se sinta num ambiente tranquilo e seguro.

Importância da escolha das histórias. Histórias que passem uma mensagem tranquilizadora ou de resolução de “situações perigosas entre monstros e vilões dos sonhos maus” darão à criança uma maior segurança.

Luz de presença e porta entreaberta. Deixar uma luz de presença no corredor possibilita que a criança perceba que os pais estarão por perto caso precise e que o quarto é um lugar seguro onde pode ficar.

 

Inês Carvalho

Psicóloga Clínica

Equipa Mindkiddo – equipa da área infanto-juvenil da Oficina de Psicologia

Mindkiddo