Família > Crescer > Aprender

Afinal quem é o responsável pelo (in)sucesso escolar do aluno?

responsável (in)sucesso escolar aluno?

O sucesso escolar das crianças é uma questão que preocupa todos os pais. Para o ajudar a perceber quais os fatores que influenciam o êxito escolar do seu filho, não pode perder o artigo do nosso parceiro Pegadas – Centro Desenvolvimento Educativo. 

Num tempo e numa sociedade em que, cada vez mais, os Pais depositam na escola toda a responsabilidade pelo sucesso escolar dos seus filhos, e os professores vivem ansiosos com a sua instabilidade profissional e recorrentes caso de indisciplina em sala de aula, é importante refletir sobre o papel de cada uma dos agentes educativos envolvidos neste processo e (re)definir estratégias que promovam o desenvolvimento global do aluno de uma forma harmoniosa.

São diversos os estudos que constatam a multiplicidade de fatores implicados no sucesso educativo do aluno. Estes fatores não são de todo exteriores ao próprio aluno, contudo a grande maioria está fora do seu alcance de resolução/amenização. A escola, e toda a situação atual de desmotivação e instabilidade que vivem os professores, mas também os Pais e o ambiente familiar estão diretamente relacionado com o (in)sucesso escolar dos alunos.

Portanto, não podemos unicamente “culpabilizar” o professor pelo insucesso do aluno, porém o docente não se pode descartar da sua cota de responsabilidade. A motivação do professor aliada à criatividade na preparação das aulas e atividades a propor aos alunos, bem como a sua competência científica são fatores determinantes que contribuem para o sucesso escolar dos discentes.

Mas será que, na escola, só o(s) Professor(es) da turma têm responsabilidade no sucesso do aluno?

NÃO!! O processo de Ensino/Aprendizagem não é exclusivo do(s) Professor(es) da turma. O processo de Ensino/Aprendizagem engloba toda a equipa docente e não docente de uma escola.

Infelizmente, poucos são os Professores que (re)conhecem o trabalho em equipa. A parceria e partilha entre docentes deveria ser uma prática efetiva em cada instituição de ensino, pois como afirma Richard I. Arends (Aprender a Ensinar, 2001) “(…) A aprendizagem dos alunos não se encontra exclusivamente relacionada com aquilo que faz um professor particular, mas também com tudo aquilo que, dentro de uma escola, fazem os professores em conjunto”.

Então mas qual a responsabilidade dos Pais neste processo?

Um estudo realizado pela Universidade de Edimburgo e liderado pelo Dr. Alexander Weiss concluiu que Homens emocionalmente estáveis vivem mais. Este estudo foi feito com 4,2 mil adultos do sexo masculino, que foram acompanhados por no mínimo 15 anos.

A estabilidade emocional tem um papel importantíssimo no desenvolvimento do Ser Humano e, como tal, este é um fator que deve ser tido em conta e não deve ser negligenciado no desenvolvimento da criança.

As crianças necessitam de estabilidade emocional para aprender e desenvolver toda as suas capacidades. Alunos defraudados da estabilidade emocional são mais propícios a dificuldades de aprendizagem, pois, entre outros fatores, a sua capacidade de concentração/atenção vê-se diminuída, bem como a sua autoestima (os alunos não se sentem capazes).

Este fator está diretamente relacionado com as famílias e em especial com os Pais. Estes têm uma enorme influência na estabilidade emocional dos seus filhos. As crianças são muito sensitivas e facilmente percebem quando há problemas/situações de stress no seio familiar.

Assim, é importante desenvolver a comunicação entre Pais e filhos, pois as crianças têm uma enorme capacidade de compreensão quando se lhes é dada uma explicação (de acordo com a sua faixa etária e maturidade, claro!). Ao mesmo tempo, ao desenvolver a comunicação, a criança terá mais facilidade para expressar os seus sentimentos, emoções e pensamentos.

Uma outra situação que influencia estabilidade emocional prende-se com a questão das expectativas.

Todos os Pais querem o melhor para os seus filhos, aliás muitos deles querem que os seus filhos sejam “os melhores”. A pressão a que sujeitam os seus filhos para atingirem este objetivo, muitas vezes, provoca nas crianças um sentimento de frustração que, quando não resolvido, se refletirá no seu comportamento e autoestima.

Mas não devem os Pais ter expectativas e querer o melhor para os seus filhos?

Claro que sim! As crianças devem ser estimuladas a aprender a e usarem todas as suas capacidades. No entanto, não precisam, para isso, de ser sujeitas a situações de constante pressão e punição.

Como podem, Pais e professores (Escola) “travar” o insucesso escolar?

A criança é o “epicentro de toda a ação social, pedagógica e didática” (Castanho, 2005) e, como tal, é nela e para ela que devemos concentrar toda a ação educativa.

Assim, o sucesso escolar passa obrigatoriamente pelo:

  • Desenvolvimento da capacidade de comunicação;
  • Estabilidade emocional;

  • Desenvolvimento da criatividade;

  • Reforço do espírito de iniciativa;

  • Fomento da autonomia;

  • Estimulo à participação interativa;

  • Apetrechamento dos alunos com métodos de estudo;

  • Reforço positivo;

  • Motivação.

 

Pegadas – Centro Desenvolvimento Educativo

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *