A Matemática não é o bicho papão! - Pumpkin.pt

A Matemática não é o bicho papão!

A matemática crianças

4 dicas para ajudar as crianças a perder o medo da Matemática.

A soma do quadrado da hipotenusa é igual a um medo gigante de frações, percentagens e equações elevadas a x? Muitas crianças – e adultos! – têm medo da Matemática, olhando para esta disciplina com desconfiança e uma atitude negativa à partida, o que pode levar a um “desligar inicial” que travará uma aprendizagem matemática até então natural – é que as crianças desenvolvem, em idades muito jovens, raciocínios aritméticos com entusiasmo.

A maioria das crianças acaba a odiar Matemática porque a escola absorve o seu lado mais divertido, tornando-a uma disciplina rigorosa sem liberdade de aprendizagem, e porque, ainda que sem intenção, os pais acabam a transferir para os filhos as suas próprias ansiedades, como um traço hereditário anti-multiplicações.

Preparados para resolver o problema? Trazemos os dados e as fórmulas para os aplicar! 

1. Não stresse!

Esqueça os “ai, filho, desculpa, a mamã não percebe nada de contas!”. As crianças percebem e assimilam as nossas inseguranças e medos. Rejeitam aquilo que vêem ser rejeitado pelos seus adultos de referência. Por isso, relaxe, e enfrente o caderno quadriculado com confiança – mesmo se não a sentir.

2. Aplique a Matemática na vida real, ou uma resposta rápida à pergunta “para quê que isto serve?”.

Com dinheiro, por exemplo, pode estimular o raciocínio matemático das crianças mais velhas. Aproveite as idas ao supermercado para lhes pedir que antecipem o valor do troco ou comparem produtos semelhantes com preços vários e peça-lhes que calculem a diferença.

As abobrinhas mais pequenas podem ajudar na contagem dos produtos, por exemplo. É suposto que as crianças com 2 ou mais anos consigam já contar. Uma, duas, três, quatro laranjas no saco!

Podem também contar degraus, para estimular o raciocínio “de 2 em 2” ou “de 3 em 3”.

3. É à medida do freguês!

Faça aos seus filhos perguntas como “se eu te der quinze ervilhas agora e dez mais tarde, quantas ervilhas vais comer?” ou “se comeres um total de 25 cerejas, dez à tarde, quantas comeste de manhã?”.

Utilize também expressões como “mais do que”, “menos do que”, “igual a”, para descrever relações entre grupos.

Incorporar conceitos matemáticos nas conversas do dia-a-dia ajuda as crianças a perceber que a aprendizagem e interesse na matéria se extende além da sala de aula. Aplicar aquilo que aprenderam de forma divertida é a garantia de que vão assimilar mais facilmente, e com maior interesse, estes conceitos.

4. Joguem!

Pode ser Monopólio, mas existem milhares de jogos com base matemática que pode oferecer às crianças. Vão treinar o cérebro e estimular a aprendizagem de uma forma natural, divertida e sem se aperceberem.

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *