Família > Crescer > Aprender

Promover a aprendizagem segundo as múltiplas inteligências: cada um é cada um!

Promover a aprendizagem segundo as múltiplas inteligências.

O que é a Teoria das Inteligências Múltiplas?

A inteligência foi durante anos associada a algo que nascia connosco e que se traduzia apenas no QI elevado (Quociente de Inteligência). Atualmente, felizmente, vários estudos provam que a inteligência é muito mais do que isso. A Beatriz Pereira, Psicomotricista e autora do blog Mais Q’Especial, explica-nos o conceito das Inteligências Múltiplas.


A inteligência relaciona-se com a habilidade para pensar, planear, resolver, adaptarmos-nos, transformar o abstrato em concreto em qualquer área e se querem saber a melhor: não se resume a uma só inteligência, mas sim a múltiplas inteligências, sendo potenciado pelo meio ambiente, as experiências e as relações que temos.

Brincando com o assunto, desta forma possivelmente temos mais probabilidades de sermos considerados “inteligentes” uma vez que em alguma, cada um de nós haverá de ser bom! Mas retomando assuntos mais sérios…

Teoria das Inteligências Múltiplas

Acontece que Howard Gardner definiu a Teoria das Inteligências Múltiplas defendendo a existência de um conjunto de inteligências múltiplas:

Inteligência linguística

Capacidade para a expressão através de palavras, histórias, da escrita, da poesia, de gestos…

Inteligência lógico-matemática

Capacidade em resolver problemas, utilizar a lógica, trabalhar com símbolos e padrões, resolver equações ou problemas abstratos..

Inteligência visuo-espacial

Capacidade ligada à perceção visual e espacial, à capacidade para interpretar imagens, para desenhar, pintar, criar, encaixar e construir objetos…

Inteligência corporal-cinestésica

Capacidade para utilizar o próprio corpo para solucionar problemas, para controlar o corpo e os seus movimentos, jogar, dançar, equilibrar-se e se expressar por meio do corpo…

Inteligência musical

Capacidade em reconhecer, produzir e compreender diferentes sons, ritmos, instrumentos, vozes, tons…

Inteligência naturalista

Capacidade relacionada com sensibilidade para com a natureza, o ambiente, os animais, as plantas, o clima..

Inteligência interpessoal

Capacidade para se relacionar com as pessoas em seu redor,  captar diferentes estados-de-espírito e interpretar as suas reações, desejos e emoções.

Inteligência intrapessoal

A inteligência do autoconhecimento, que transmite a capacidade para reconhecer e identificar as suas próprias emoções, motivações, desejos e para refletir sobre o mesmo.

Giro, não é?

Aprendizagem e Inteligência

Agora, é mais giro ainda ver como cada uma das inteligências múltiplas se relaciona com o processo de aprendizagem de cada criança, com a melhor forma de potenciar a aquisição de competências ou conteúdos académicos. Isto é:

Crianças com inteligência linguística aprendem melhor com histórias, textos, jogos com letras e palavras, questões.

Crianças com inteligência lógico-matemática aprendem melhor com desafios e problemas que lhes são lançados, por tabelas, gráficos, números, operações e tabelas.

Crianças com inteligência visuoespacial maximizam a sua aprendizagem através de imagens, mapas, representações, cores, formas, símbolos, desenhos, esquemas.

Crianças com inteligência corporal cinestésica aprendem muito à base do seu próprio corpo, por dramatizações em que podem ter espaço para se movimentar e expressar corporalmente.

Crianças com inteligência musical aprendem imenso através de lengalengas, músicas, instrumentos, ritmos, mnemónicas, rimas.

Crianças com inteligência naturalista potenciam a sua aprendizagem estando rodeados da natureza, dos animais, plantas, florestas.

Crianças com inteligência interpessoal aprendem quanto mais estudarem em grupo, quanto mais dialogam e debatem com outras pessoas dúvidas, opiniões e interesses.

Crianças com inteligência intrapessoal aprendem melhor no seu próprio sossego, sozinhas com elas mesmas a “amadurecer” as aprendizagens.

Com este conhecimento, podemos adaptar e ajustar o método de aprendizagem consoante as inteligências da criança, mostrando respeito pelas suas potencialidades e pelas suas dificuldades. Basta queremos conhecer a criança, as suas aptidões e estarmos empenhados em ir ao encontro das mesmas para trabalhar outras aptidões, competências e conteúdos.

Relembro que cada um de nós, pelas nossas experiências e vivências desenvolvemos uma ou mais do que uma inteligência. Pelo que o meio ambiente, as pessoas que estão com a criança diariamente são determinantes no desenvolvimento das inteligências múltiplas…e muitas das vezes, podemos usar uma inteligência múltipla para trabalhar outra!

Sejam “inteligentes”, com as vossas inteligências múltiplas!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *