Família > Fazer com os miúdos > Livros

Uma bruxa que faz magia: cativa todos os pequenotes.

Uma bruxa faz magia: cativa todos pequenotes.

Hoje em dia, os livros infantis são tantos que se revela muito difícil fazer a escolha. Torna-se cada vez mais importante averiguar se as mensagens e imagens têm qualidade.

Nos livros da Bruxa Mimi temos essa certeza. Eles são muito especiais: fazem magia com as crianças.

Aqui na Pumpkin, temos pequenotes dos 2 aos 7 anos que adoram! A abobrinha, por exemplo, exclama “Abacadaba” no final de cada história desta querida bruxa. Tudo porque os livros da Bruxa Mimi são muito fáceis de teatralizar e ficam na memória dos adultos e das crianças.

Nas últimas feiras do livro de Lisboa, a Mimi tem estado lá para acolher os meninos que lhe perguntam:

–       Porque é que o teu cabelo é tão despenteado?

–       Porque é que não voas agora?

Com todo o charme próprio desta bruxa, ela responde:

–       Hoje não pus amaciador!

–       Não posso voar porque organização da Feira não deixa!

Um modelo social em acção

 Quando criaram a bruxa Mimi, Korky Paul e Valerie Thomas produziram uma excelente forma de divertimento em que as crianças aprendem muito sobre a cor. Ao mesmo tempo, criaram também uma ferramenta original e valiosa para ensinar crianças, e muitos adultos, sobre maneiras diferentes de pensar sobre a deficiência e a diferença.

 Por exemplo, na sua primeira história “A bruxa Mimi“:



* a bruxa Mimi representa a sociedade


* a casa representa o ambiente.


* o Rogério representa pessoas diferentes da maioria


* os pássaros representam atitudes de todos os outros na sociedade.



 

 

A bruxa Mimi acha que o Rogério é um problema porque a sua pele preta não pode ser vista na sua casa preta. A sociedade acha que as pessoas diferentes são um problema.

A bruxa Mimi utiliza as suas habilidades para mudar um pouco o Rogério, pensando que um Rogério verde será menos problemático na sua casa preta. Não lhe pergunta se ele quer ser verde, porque a bruxa Mimi pensa saber o que é melhor. São assim as tentativas da sociedade para mudar indivíduos portadores de deficiência ou de diferenças, mesmo quando não estão doentes ou com dores.

O Rogério ainda é um problema. A bruxa Mimi faz outra mudança ainda maior ao Rogério, mas ele fica muito infeliz porque quer ser ele mesmo. A bruxa Mimi teve uma atitude que levou mesmo os pássaros a pensar que se podiam rir de Rogério. As pessoas portadoras de deficiência ou diferenças não querem ser mudadas para se ajustar à sociedade “normal”. Querem ser eles mesmos, como são, fazendo parte e contribuindo para a sociedade.
As mudanças erradas criam atitudes sociais que conduzem ao desrespeito pelos indivíduos, tal como a mudança certa pode criar a certeza de que todos são iguais e respeitados.

A bruxa Mimi decide-se a mudar a sua casa e ficar com o Rogério tal como ele é. Eles podem viver ambos felizes na casa colorida. Certas mudanças na sociedade podem remover barreiras para que todos vivam em igualdade e independência.

Moral da história: é bem melhor mudar o ambiente e as nossas atitudes do que tentar mudar pessoas portadoras de deficiência ou de diferenças.