Família > Fazer com os miúdos > Livros

Os hábitos de leitura das crianças portuguesas e dos seus pais

Hábitos de leitura das crianças em portugal

Os portugueses gostam de ler? Foi isso que o Expresso, o Plano Nacional de Leitura e a McDonald's quiseram saber!

O Expresso, o Plano Nacional de Leitura 2027 e a McDonald’s quiseram saber quais os hábitos de leitura dos portugueses, miúdos e graúdos. Num estudo conjunto, apresentaram as conclusões e é fácil perceber que a paixão pela leitura é diretamente proporcional a um contato precoce com os livros.

Este estudo foi apresentado num debate muito interessante que incluiu Isabel Alçada, antiga ministra e autora preferida de muitas crianças (agora adultos), Teresa Calçada (Comissária do Plano Nacional de Leitura 2027) e João Alvim (Presidente da APEL), com a moderação de Martim Silva (Diretor-Executivo do Expresso).

Estiveram também presentes Maria Inês Almeida (escritora), Mariana Alvim (influenciadora, mãe e locutora da RFM) e Windoh (youtuber).

Quais foram as conclusões principais do estudo Expresso, PNL e McDonald’s?

A maioria dos pais está consciente da importância da leitura para o melhor desenvolvimento das crianças, e a maioria das crianças tem o hábito de ler, pelo menos uma vez por semana.

No entanto a leitura é apenas a 5ª atividade mais comum nos tempos livres das crianças, abaixo do tempo dedicado aos multimédia e tecnologias.

Apesar de os portugueses mostrarem gosto pela leitura, e as abobrinhas também, os números ainda podem crescer, e para isso propomos, por exemplo, que visitem em família estas livrarias infantis incríveis e que sigam estes 10 passos para incentivar o gosto das crianças pela leitura!

Vejam as conclusões explicadas ao pormenor e conheçam um pouco da nossa experiência familiar! 

Quem foram os entrevistados?

Foram entrevistadas 1004 pessoas com filhos até aos 15 anos: as abobrinhas têm, em média, 8 anos, e os pais 39.

Com 1,6 filhos em média, 47% dos pais têm um curso universitário e 37% completaram o 12º ano atual.

A maioria dos inquiridos classifica-se como pertencendo à classe média (64%).

Quais são os hábitos de leitura dos pais?

Os pais tiveram que responder primeiro a várias questões relacionadas com os seus próprios hábitos de leitura e as respostas acabam por ser surpreendentes: metade dos inquiridos (49%) assume ter o hábito de ler, admitindo que o gosto pela leitura terá surgido até aos 10 anos de idade, já que os próprios pais lhes liam também em criança.

No entanto, ler é a atividade preferida de apenas 21% dos inquiridos, que lêem em média 12 livros por ano. Só 38% gasta anualmente mais do que 50 euros em livros.

A grande maioria lê em papel e em casa (mais de 90%), sendo que 42% prefere ler à noite.

É no período de férias que grande parte dos inquiridos costuma ler com maior frequência: 87% inclui livros na bagagem!

Como transmitem os pais hábitos de leitura aos filhos?

90% dos pais tem ou teve o hábito de ler para os filhos que ainda não o conseguem fazer sozinhos, e 66% leva sempre consigo um livro para as abobrinhas lerem nas férias, proporcionando assim desde muito cedo um contacto com os livros e mostrando a importância de ler.

82% prefere ler para os filhos à noite, e a esmagadora maioria gosta de comprar livros para os filhos – esta é uma tendência mais acentuada, logicamente, nos pais que também eles têm o hábito de ler.

Os pais acreditam (95%) que é importante que os filhos sejam estimulados para a leitura na escola, mas reconhecem (93%) que ler-lhe histórias em casa desenvolve hábitos de leitura na criança.

88% acredita ainda que ler traz um impacto positivo no aproveitamento escolar das abobrinhas e que os hábitos de leitura são uma mais-valia para o desenvolvimento pessoal dos filhos.

Quais são os hábitos de leitura dos filhos?

Apesar de 67% das crianças terem o hábito de ler, a leitura é apenas a sua 5ª atividade favorita, com 26% de preferências.  No entanto, os dados são optimistas, já que 86% das abobrinhas lêem pelo menos uma vez por semana.

Os seus livros favoritos? É fácil! 73% adora livros de aventura e 61% prefere clássicos infantis/juvenis.

A confirmar as crenças dos pais, 46% das crianças com hábitos de leitura têm excelentes notas, enquanto apenas 17% de crianças sem hábitos de leitura apresenta um excelente rendimento escolar.

Como podemos promover a leitura em nossas casas e em Portugal?

Na conversa durante o painel reforçou-se a importância da leitura com os pais, que pode começar ainda no colo, logo desde os 6 meses.

À medida que as crianças crescem, mais do que ler aos filhos, é importante ler com os filhos, envolvendo-os na experiência. Por exemplo teatralizando a leitura, inventado vozes para os personagens e fazendo perguntas, por exemplo.

Para que as crianças leiam ao longo da sua vida, tem de criar-se desde a infância o amor pela leitura, a relação afetiva com os livros, reconhecendo o valor da palavra e do vocabulário.

Quando as crianças aprendem a ler é essencial promover a aquisição da leitura, para que passe a ser um processo fluido, em que o cerebro se foca na compreensão da mensagem e não no processo de leitura das letras, palavras e frases.

Na escola, os professores têm um papel essencial e a rede escolar de bibliotecas é muito importante, com iniciativas de incentivo à leitura e disponibilizando livros para as crianças lerem em casa.

Também em casa os pais devem ajudar as crianças, acompanhando-os na leitura e ouvindo os filhos a ler.

A sondagem mostra que são as mães sobretudo que lêem aos seus filhos. É importante que também as figuras masculinas assumam esse papel, como referiu Isabel Alçada no painel em que os resultados foram discutidos. Na sua experiência, as crianças que têm pais (e não apenas mães) que lêem com os filhos têm ainda maior sucesso escolar.


Quando as crianças crescem, a partir do 2º ciclo, a concorrência das tecnologias aumenta.

A leitura é muito importante para o desenvolvimento das crianças, e ainda mais na era tecnológica em que vivemos: a leitura promove a concentração e a atenção, que as defende das dependências digitais.

No painel com Maria Inês Almeida (autora e mãe), Mariana Alvim (radialista e mãe) e Windoh (Youtuber) falaram-se de estratégias para promover a leitura das crianças mais velhas, das dificuldades em encontrar livros adequados e em convencê-las a ler.

Mariana Alvim reconheceu ser uma adulta que adora ler, mas que tem dificuldade em convencer o seu fiho de 12 anos a fazê-lo. Para as crianças dessa idade, ler pode ser “uma seca” que os amigos não fazem – e se fazem não confessam porque “não é fixe”.

Entre amigas com filhos trocam-se recomendações de séries que os miúdos gostam, e quando gostam, devoram.

Windoh, um jovem youtuber com mais de 500 mil seguidores entre os 9 e os 20 anos, concordou que obrigar não funciona, porque deixa de ser uma atividade feita por prazer. Ele próprio gosta muito de ler, mas reconhece que não fala de livros no seu canal.

Face aos resultados do estudo, que mostram que a leitura é menos apreciada do que a tecnologia, há a oportunidade de usar a tecnologia como aliada da leitura com livros digitais, influenciadores que adoram ler e promoção de livros de que as crianças gostam.

 

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Um comentário em “Os hábitos de leitura das crianças portuguesas e dos seus pais

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *