Livros de poesia para crianças: amar a palavra é preciso! - Pumpkin.pt

Livros de poesia para crianças: amar a palavra é preciso!

livros de poesia para crianças

A poesia inspira, renova, acalma e, em muitos momentos, diverte também. Reunimos vários livros para introduzir a arte da poesia às abobrinhas.

A poesia rima, embala, contraria, ensina, entretém, anima, esclarece, emudece: o poder de um poema pode ser infinito – e também nas crianças ter esse efeito.

Reunimos alguns dos livros de poesia para crianças de que mais gostamos, na esperança de que vos possam cantar ao coração, também. Algumas destas escolhas remetem às palavras de sempre, aquelas que fizeram dos clássicos nomes eternos. Outras, mais contemporâneas, lembram que a arte se renova sempre!

Livros de Poesia para Crianças

Primeiro Livro de Poesia, seleção de Sophia de Mello Bryner Andresen

«Este livro não é uma antologia e muito menos uma antologia panorâmica. Constituído por obras de poetas de todos os países de língua oficial portuguesa, é um livro de iniciação, destinado à infância e à adolescência e onde procurei reunir poemas que, sendo verdadeira poesia, sejam também acessíveis. […]

Não quis fazer um livro de ensino mas apenas mostrar o poema em si próprio. Pois creio que só a arte é didática.»

Sou do Tamanho do que Vejo: Antologia de Poesia de Fernando Pessoa

sou do tamanho do que vejo

Fernando Pessoa é uma das personalidades fundamentais da Literatura Portuguesa. Os mais jovens ouvem o seu nome e deparam-se desde cedo com a sua imagem, mas é comum só conhecerem os textos que ele escreveu quando têm de os estudar na escola. E se «ler é maçada, estudar é nada», este livro, ilustrado pelo talentoso Jaime Ferraz, pretende justamente revelar-lhes o poeta e mostrar-lhes como é bom ler só por prazer. 

No seu texto introdutório, a escritora Carla Maia de Almeida apresenta-nos este homem complexo e misterioso, cuja obra é hoje conhecida e admirada em todo o mundo.

Poesia de Luís de Camões para Todos

Poemas sobre o amor e a vida, alguns contando pequenas histórias, outros de um humor irresistível… Que este seja, para muitas crianças e jovens, o seu primeiro livro de Luís de Camões, pois nele se reúnem poemas líricos de leitura mais acessível, a par de outros que, de tão conhecidos, ficaram guardados na memória de muitos portugueses desde a juventude.

A Casa da Poesia, de José Jorge Letria e Rui Castro

a casa da poesia

«A poesia tem uma casa que não aparece nos jornais, talvez por iguais a ela não existirem muitas mais.
É uma casa hospitaleira onde o sono é fantasia e cada poema guarda a sua própria melodia.»

Sabiam que, tal como nós, a poesia também tem uma casa? Não é bem igual à nossa, mas é igualmente acolhedora e simpática. Lá dentro, encontram versos que podem ou não rimar, que podem fazer rir ou chorar, com diversos sons e de muitas cores. Estás pronto para abrir a porta?

Poesia-me, de Álvaro Magalhães

poesia-me

Do autor de O Reino Perdido, O Limpa-Palavras e Outros Poemas e O Brincador, “Poesia-me” é um novo livro de poemas, para leitores de todas as idades, cujas palavras nos levam a um espaço imaginário onde são desvendadas a beleza, a relatividade e a essência das coisas. 

O que pede o livro de poemas ao leitor? “Abre-me e lê-me. / Devagar e também furiosamente. / Como quem ama. / Em troca, poesio-te.” E o que pede o leitor ao livro de poemas? “Oh, sim, poesia-me / enquanto é tempo e o tempo não vem. / … / Dá-me um grão de um grão de vento, um arco de ouro, um astro mudo, todas as palavras que uma palavra tem e poesia-me até ao fim do tempo, de tudo. Depois, também!”.

Os melhores Poemas para crescer, seleção de Rosa Lobato Faria

os melhores poemas para crescer

Iniciar os mais novos no gosto pela poesia é uma tarefa mais simples do que, à partida, pode parecer.

Os melhores Poemas para Crescer” dá a conhecer textos poéticos escritos por grandes autores, que perduraram no tempo, através de gerações, e continuaram vivos nas palavras do nosso quotidiano. Assim, ler poesia será um motivo de prazer, oferecendo tempos bem passados, a ler e a escutar poemas.

Com poesias de D. Dinis, Camões, Almeida Garrett, João de Deus, Júlio Dinis, Guerra Junqueiro, Cesário Verde, António Nobre, Fernando Pessoa e Florbela espanca, entre outros.

Poemas de Mentira e da Verdade, de Luísa Ducla Soares

Dedicado a crianças avessas à leitura e particularmente à poesia, os Poemas da Mentira e da Verdade cativam-nas pela irreverência, pelos jogos de palavras, pela cumplicidade com o mundo infantil, cheios de imaginação, fantasia de realidade e objectividade.

Aquela Nuvem e Outras, de Eugénio de Andrade

aquela nuvem e outras

Um dos dois pequenos livros infantojuvenis escritos por Eugénio de Andrade, a leitura de Aquela Nuvem e Outras é indicada para o 1.º ano de escolaridade. Um pequeno livro de poesia para os mais pequenos, pleno de beleza e de ensinamentos.

O Poeta Faz-se Aos 10 Anos, de Maria Alberta Menéres

o poeta faz-se aos 10 anos

A descoberta mágica do mundo da poesia por um grupo de jovens alunos, o deslumbramento pela palavra, a aventura da escrita. Um manual de observação psicológica do “nascimento do poeta”, em que a ternura pelo ensino é uma constante, como em todos os trabalhos de Maria Alberta Menéres.

Poesia por Todo o Ano, de Luísa Ducla Soares

poesia para todo o ano

Esta antologia, dirigida especialmente a crianças do 1.° Ciclo do Ensino Básico, é certamente uma bela iniciação à poesia e constitui um apoio para professores e encarregados de educação. Inclui poemas de todos os livros presentes nas Metas Curriculares de Português para este nível de ensino e muitos dos que figuram no Plano Nacional de Leitura.

Através dos mais reconhecidos poetas do passado e contemporâneos, abrange temáticas abordadas nos quatro primeiros anos de escolaridade, procurando estimular o prazer de ler e o gosto pela poesia e pela língua portuguesa.

Poemas para Brincalhar, de João Manuel Ribeiro

“A palavra brincalhar só existe no dicionário da imaginação. Quem ma ensinou foi um menino que, um dia, depois de ouvir estes poemas, me confessou:

— Estes são poemas para brincalhar…

Fiquei perplexo e retorqui:

— Mas a palavra brincalhar não existe…

— Pois não, inventei-a hoje ao ouvir-te: são poemas brincalhões para brincar… Não estás a ver?

Claro que vi! E adotei esta palavra nova. Espero que todos o façam também e, com ela, brinquem e se tornem brincadores.”

No Coração do Trevo, de Maria Alberta Menéres

no coração do trevo

Um belíssimo livro de poesia para a infância por uma das mais consagradas autoras da literatura infantil. Obteve o 1º Prémio no concurso “O Ambiente na Literatura Infantil”, promovido pelo Instituto Nacional do Ambiente.

Também lhe pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1 votes, average: 5,00 out of 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<