Caça ao tesouro dentro e fora de casa: ideias para se divertirem com os vossos piratas! - Pumpkin.pt

Patrocinado por

Caça ao tesouro dentro e fora de casa: ideias para se divertirem com os vossos piratas!

caça ao tesouro

Vamos lá, marujos!

Quem é que vai encontrar o baú recheado de ouro, ou, melhor ainda, surpresas incríveis? Organizem uma caça ao tesouro para entreter os miúdos nestas férias atípicas – a diversão de todos é tão certa como aquele x no mapa!

Se preferirem arejar, podem optar por espaços abertos, como jardins (o vosso, o da avó, o do primo, o do vizinho da frente, vale tudo) ou parques públicos pelas primeiras horas da manhã, quando estão mais vazios.

Se optarem pelo resguardo caseiro, não se preocupem: também conseguem transformar a vossa casa num autêntico palco de quimeras, desafios e muito mistério.

Como já antecipamos o entusiasmo (e os tropeções) dos seus piratas, não esqueçam de ter convosco Bepanthene® Plus Creme antes de começar a aventura!

bepanthene 2020

Bepanthene Plus, um medicamento para desinfecção e cicatrização de feridas…quando necessário!

Caça ao tesouro dentro de casa

Dentro ou fora de casa, na verdade, a primeira regra é sempre planear!

Onde é que vão esconder o tesouro? Que pistas querem deixar pela casa? Vão começar com o mapa já completo ou precisarão os miúdos de se mostrar piratas à altura? E se assim for, que desafios terão as abobrinhas que ultrapassar para receber as restantes peças do mapa e montar o puzzle?

O mais lógico – e divertido – é espaçar o jogo por todas as divisões da casa. Estabeleçam o ponto de partida (por exemplo, a porta de entrada, ou o hall que dá acesso a todas as áreas) e lancem o primeiro desafio, que quando resolvido os levará ao quarto dos pais, onde estão escondidos mais enigmas, e daí da casa de banho, depois à sala de estar, até ao esconderijo final.

Recompensem cada atividade bem-sucedida – ou falhada com esforço – com outra pista, ou peça do mapa, diferente.

Uma ideia gira é a de imprimir um mapa preparado com todo o carinho, cortarem-no e espalharem pela casa as diferentes peças do “puzzle”. Assim, depois de exploradas todas as divisões e cumpridos todos os desafios, os piratas podem montar finalmente o puzzle e identificar onde está o tesouro tão desejado!

mapa caça ao tesouro Pumpkin
Façam o download do mapa, legendem-no (baú – cozinha, por exemplo), imprimam-no, cortem a vosso gosto e espalhem as peças pela casa!

Se quiserem tornar o momento ainda mais emocionante, façam com que o ponto assinalado pelo “X” no mapa não seja de facto o local onde o tesouro está escondido, mas sim o ponto onde os miúdos vão confrontar-se com o desafio final, o mais difícil e entusiasmante de todos.

E então depois, aí sim, deixem-nos meter as mãos no ouro!

Que desafios utilizar?

Quanto mais diversos, melhor! Querem esconder uma pista no telefone? Preparem uma sopa de letras com as letras T-E-L-E-F-O-N-E espalhadas ao longo dos quadradinhos e, depois, lancem o seguinte desafio:

“Risquem todas as letras
da palavra AMAR
e descubram uma palavra
com as letras que vão restar”

E agora? Será que vão ter que telefonar para alguém, ou para algum lugar, para descobrir a pista seguinte? E o número, como o vão descobrir?

Imaginem que querem ligar para o número 912345678. Escrevam-no em código: I – A – B – C – D – E – F -G – H. Este exemplo acaba por ser óbvio e de fácil resolução, mas como os números de telefone possibilitam tantas combinações, na prática não será assim tão simples descobrir quem os vai poder ajudar.

As adivinhas também são uma escolha óbvia, desafiante e divertida: escrevam-nas num papel, e as abobrinhas só podem passar à fase seguinte do jogo quando adivinharem a resposta. Podem sempre pedir pistas – e os pais podem sempre recusar-se a dá-las!

Numa fase em que estamos quase todos, involuntariamente, mais sedentários, pode fazer sentido que algum dos enigmas envolva estímulos de atividade física: vão deixar os piratas a transpirar, mas por um bom motivo.

Se a próxima pista quiserem encontrar,

100 saltos à corda precisam de dar.

Onde é que ela está, não sabemos,

mas pensem no boneco de que mais gostavam quando eram pequenos.

Em conjunto ou sozinhos, perto dele vão encontrar,

Tudo aquilo de que precisam para o jogo continuar.

Podem também indicar locais ou objectos de uso comum em casa com frases mais elaboradas. “Precisam de me utiizar, ao acordar e depois de jantar” (escova de dentes) ou “onde vão encontrar incentivo para andar” (sapateira), por exemplo.

Outra ideia, mais simples, é pedir que recolham pela casa vários itens muito bem escondidos – e fora dos locais habituais. O que está uma banana a fazer no lavatório? Conseguem descobrir a meia verde atrás do cortinado? E algo retangular? Quando os miúdos tiverem todos os objectos reunidos, deem-lhes acesso ao mapa com a localização do tesouro!

Estas são apenas algumas sugestões, mas se depois da quarentena sentem que não têm a capacidade de inventar tantas pistas e jogos, não se preocupem.

Preparámos um arquivo com vários desafios e enigmas adequados a várias idades, e até um mapa que podem adaptar à vossa casa. Podem utilizá-los gratuitamente – agradeçam depois! 🙂 Agora só precisam de deixá-los nos locais certos!

Caça ao tesouro fora de casa

caça ao tesouro ao ar livre

Fora de casa é mais difícil delimitar o espaço de ação, principalmente se optarem por brincar num jardim público, mas é importante que o façam para que o jogo não disperse muito.

Por isso, a ideia é deixar muito claro logo na primeira pista que o tesouro se encontra “entre a árvore que ao fundo corta o horizonte e o contentor para plásticos mais à direita que conseguem ver”.

Assim, concentram todo o jogo numa área onde os adultos podem controlar visualmente as crianças (e evitar contactos desnecessários), ao mesmo tempo que rentabilizam a diversão!

Que desafios utilizar?

Podem incentivar uma “caça ao tesouro” muito natural: que tal estabelecer uma palete de cores previamente e desafiá-los a encontrar elementos da natureza com cada uma das cores escolhidas?

Conseguindo reunir um pau castanho, uma folha verde, uma pedra cinzenta e uma flor amarela,

apontando para o céu azul e para uma nuvem branca a passar,

têm direito a mais uma pista abraçar!

Podem também utilizar estes elementos naturais como “portadores de mensagem”: ou seja, mais do que apenas reuni-los, escondam pequenas pistas perto de elementos estáticos como árvores, fontes, arbustos, lagos ou hortinhas.

Podem também utilizar as placas com regras de utilização de espaços públicos, por norma espalhados ao longo de todos os parques e jardins das nossas cidades, para esconder pistas ou como ponto de encontro para que as abobrinhas possam tirar dúvidas e/ou pedir a ajuda do público – que é como quem diz, a vossa!

Outra ideia é a de lançarem adivinhas. literalmente, para o ar – imaginem que não encontram abelhas no vosso jardim. Não faz mal! Na televisão podia chamar-se Maia, aqui aparece a voar, com as suas listras coloridas, o mundo inteiro consegue alimentar. Pronto! Já têm uma colmeia recheada de picadinhas de pistas ao vosso dispor!

Em último caso, podem sair de casa ficando nela: preparem um teste sobre vários animais e elementos naturais e espalhem as perguntas pela casa.

  • Quantos ossos tem o pescoço de uma girafa? Os mesmos do que o nosso! (Sete!)
  • Qual é o animal mais rápido do mundo? (Falcão peregrino – atinge os 320 km/h!)
  • Adoramos o tempo frio muito mais do que o calor, porque somos do Ártico e trabalhamos no Natal. Temos pelos grossos, pés com cascos e grandes chifres para nos ajudar a sobreviver! Quem somos? (As renas!)

As abobrinhas podem consultar a internet para ver fotografias e encontrar informação, mas o mais importante é que cavem juntos a resposta: quando estiver tudo certo, podem ir a correr para o local onde o tesouro foi escondido!

Boas caças!


Bepanthene Plus creme é um medicamento não sujeito a receita médica, com dexpantenol e cloro-hexidina, para o tratamento de feridas e queimaduras superficiais quando existe algum risco de infeção. Contraindicado no caso de alergia a qualquer dos componentes deste medicamento e no tímpano perfurado. Evitar o contacto com os olhos e mucosas. Leia cuidadosamente o folheto informativo e, em caso de dúvida ou persistência dos sintomas, consulte o médico ou farmacêutico.

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1  votos, média:   4,00  em 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *