Sessões DocEscolas do DocLisboa - Pumpkin.pt

Sessões DocEscolas do DocLisboa

Sessões DocEscolas

A programação DocEscolas apresenta sessões de cinema dedicadas a grupos escolares.

Gostam de documentários? Então, alunos, venham daí!

A secção engloba sessões pensadas para as diferentes faixas etárias. Visam promover a diversificação dos conteúdos programáticos das disciplinas, contribuindo para promover o conhecimento curricular e extra curricular, o repertório cultural e científico, bem como a sensibilidade e o interesse pelo cinema documental.

No final de cada sessão é dinamizado um debate com os participantes e um programador do festival.

Vamos ter sessões ao longo de seis meses, repartidas por seis momentos, acompanhando a programação dos vários momentos do festival, dedicadas a alunos do 2º ciclo ao ensino universitário.

Em outubro haverá seis sessões DocEscolas e nos seguintes meses haverá três sessões por cada momento.

Para realçar a importância e a pertinência artística, social, política e filosófica do filme assistido, todas as sessões serão seguidas de debate com um programador do festival e algumas com presença do realizador.

Programação DocEscolas até Março

Sessões DocEscolas em Janeiro

Sessões DocEscolas em Janeiro

Sessão dia 18 de Janeiro (seg), 10h30, Padrão dos Descobrimentos (3º ciclo +)

Visões do Império | Joana Pontes | 2020 | Portugal | 93’

“Visões do Império” é um documentário sobre o modo como o império português e a sua história foram imaginados, documentados e publicitados a partir do registo fotográfico, desde o final do século XIX até à revolução que em 1974 pôs fim ao regime político autoritário que governava Portugal.

  • Áreas: História, Antropologia, Fotografia, Estudos Africanos.
  • Palavras-Chave: colonialismo, escravatura, império português, reinterpertação

Sessão dia 20 de Janeiro (qua), 10h30, Padrão dos Descobrimentos (Ensino Secundário +)

A Maior Massa de Granito do Mundo | Luís Filipe Labaki | 2020 | Brasil | 15’

Entre 1936 e 1953, o governo de São Paulo patrocinou a construção do Monumento às Bandeiras, do escultor Victor Brecheret, concebido ainda em 1920 em homenagem às expedições bandeirantes. Ainda hoje, os rostos de granito ouvem ecos do discurso oficial por trás do monumento.

  • Áreas: História, Património, Estudos Brasileiros.
  • Palavras-Chave: cultura, escultura.

Una Revuelta sin Imágenes | Pilar Monsell | 2019 | Espanha | 15’

“Uma das rebeliões mais desconhecidas da nossa história, ‘A Revolta do Pão’, foi liderada por mulheres em Córdova, em Maio de 1652. Não há rostos nem nomes. Não há nenhuma imagem delas. Como recuperar os gestos de resistência de quem não conseguimos ver?” Pilar Monsell

  • Áreas: História, Estudos Femininos, Antropologia.
  • Palavras-Chave: rebelião, memória, mulher.

Untitled Sequence of Gaps | Vika Kirchenbauer | 2020 | Alemanha | 13’

Um filme ensaio que aborda a perda de memória relacionada com trauma através de reflexões sobre a luz fora do espectro visível – sobre o que se sente, mas nunca se vê. Alternando entre escalas planetárias macro, fenómenos físicos e relatos individuais, examina a violência e seu funcionamento, não através de representações, mas a partir de dentro. Ao mesmo tempo que pondera os efeitos do invisível e o poder inerente ao deslocamento da violência para lá da visibilidade, o filme reflecte sobre os arquivos e tecnologias digitais que ajudam a configurar a relação humana actual com o passado, o presente e o futuro.

  • Áreas: Cinema, Audiovisuais.
  • Palavras-Chave: imagem, luz, relação.
  • Playback. Ensayo de una Despedida | Agustina Comedi | 2019 | Argentina | 14’

Em Córdova, longe da capital da Argentina, o fim de um regime militar promete uma Primavera que não dura muito. “La Delpi” é a única sobrevivente de um grupo de mulheres transexuais e drag queens que começaram a morrer de SIDA no final dos anos 1980. Numa cidade católica e conservadora, o Grupo Kalas serviu-se de vestidos improvisados e playbacks como armas e trincheiras. Hoje, as imagens de cenas únicas e desconhecidas constituem não apenas uma carta de despedida mas também um manifesto de amizade.

  • Áreas: História, Estudos de Género, Estudos Sul Americanos.
  • Palavras-Chave: transexualidade, regime ditatorial, testemunho.

Sessões DocEscolas em Fevereiro

Sessões DocEscolas em Fevereiro

8 FEV (seg) | 10h30 | Cinemateca Júnior | Ensino Secundário +

Après Ta Révolte Ton Vote (After Your Revolt, Your Vote) | Kiswendsida Parfait Kaboré | 2019 | Burkina Faso, França | 85’

No seguimento de um levantamento popular em Outubro de 2014, o Burquina Faso compromete-se com um voto histórico. Graças a um movimento liderado pela geração jovem, é a primeira vez que o país testemunha uma mudança de governo por via das urnas eleitorais.

  • Áreas: História, Ciência Política, Sociologia, Estudos Africanos.
  • Palavras-Chave: juventude, democracia, política.

9 FEV (ter) | 10.30 | Cinemateca Júnior | 3º ciclo +

Antena da Raça | Paloma Rocha, Luís Abramo | Brasil | 2020 | 71’

O filme apropria-se e discute a realidade brasileira com base em diálogos, excertos e cenas dos filmes viscerais de Glauber Rocha e no seu desejo de “retirar as máscaras” da saga terceiro-mundista do Brasil. A loucura lúcida das fábulas glauberianas está na rua e na política, sendo o povo hoje o contra-campo dos personagens dos seus filmes.

  • Áreas: Estudos Brasileiros, Cinema, Estudos da Cultura, Literatura, Ciência Política.
  • Palavras-Chave: política, cultura, sociedade.

10 FEV (qua) | 10.30 | Cinemateca Júnior | Ensino Secundário +

Bulletproof | Todd Chandler | 2020 | EUA | 84’

Bulletproof analisa as complexidades da violência nas escolas através das estratégias empregues para a sua prevenção. O filme atenta nos rituais de longa data dentro e em torno das escolas americanas: desfiles de regresso a casa, treinos de basquetebol e aulas de matemática. Em paralelo, desenrola-se um conjunto de tradições mais recentes: exercícios de encerramento, treino de armas de fogo para professores, rastreios com detectores de metais e feiras de segurança escolar. Um olhar para lá das causas e respostas imediatas aos massacres numa meditação sobre as forças que moldam a cultura de violência nos EUA.

  • Áreas: Estudos Norteamericanos, Sociologia, Psicologia.
  • Palavras-Chave: escola, segurança, violência, actualidade.

Sessões DocEscolas em Março

Sessões DocEscolas em Março

8 MAR (seg) | 10.30 | Cinemateca Júnior | 2º ciclo +

Medium | Edgardo Cozarinsky | 2020 | Argentina | 73’

Uma pianista de 90 anos tem uma relação especial com Brahms, cuja música toca desde o seu primeiro concerto. Ao mesmo tempo, vem participando em apresentações que combinam teatro e música de vanguarda, uma experiência que lhe proporciona uma nova abordagem à música clássica. As suas memórias de infância alimentam o seu trabalho criativo. Mantém contacto com alunos jovens e por via da sua amizade estes herdam a experiência completa de uma vida dedicada à música. Um filme sobre música e o desejo de viver uma vida mais plena, velhice e juventude promissora e o poder duradouro da passagem de testemunho.

  • Áreas: Música.
  • Palavras-Chave: música clássica, contacto intergeracional.

9 MAR (ter) | 10.30 | Cinemateca Júnior | 3º ciclo +

Da Minha Janela | Pedro Cabral | 2020 | Portugal | 7’

Em tempos de confinamento as janelas tornam-se, por vezes, o único ponto de contacto com o mundo exterior e com os outros.

  • Áreas: Cinema.
  • Palavras-Chave: pandemia, distanciamento, exterior.

Eu Máis (Me More) | Ángel Montero | 2020 | Espanha | 15’

“Eu máis é uma experiência emocional, um sentimento, a reminiscência de um sonho em que as vozes e os corpos se perdem e se encontram na Natureza, no tempo. Eu máis é uma viagem ao primitivo, uma interrogação para os animais, uma tentativa de furar o medo e me fundir com tudo, de tentar exprimir tudo o que não sou capaz de dizer.” Ángel Montero

  • Áreas: Cinema, Estudos da Cultura.
  • Palavras-Chave: Natureza, canção, cultura.

42.ZE.66 | Eduardo Saraiva | 2020 | Portugal | 12’

Alexandrina é uma camionista portuguesa que trabalha sozinha na entrega de mercadorias por toda a Europa. Durante essas longas viagens, a sua única ligação a outras pessoas é através da Internet e telefonemas. A sensação de estar presa dentro de uma lata de metal com rodas começa a sufocá-la. 42. ZE.66 é um retrato desta mulher forte e versa as lutas de uma vida solitária nas estradas da Europa.

  • Áreas: Sociologia, Psicologia.
  • Palavras-Chave: trabalho, solidão, internet.

Cristina | Olívia Guerra | 2020 | Portugal | 15’

A partir dos filmes em super 8mm do pai de Cristina e dos diários desta, o filme confronta a leveza e alegria de celebrações familiares com o peso e a tristeza que a mesma criança exprime em privado e de forma secreta no seu diário. O desfasamento cronológico entre os dois registos – as imagens dos seus primeiros anos de vida e a escrita do fim da infância – reforça o sentimento de desamparo de Cristina, sujeita a um ambiente familiar hostil. Este trabalho pretende dar voz a esta criança e validar os seus sentimentos e pensamentos, reconhecendo, por fim, a sua realidade.

  • Áreas: Saúde Infantil, Psicologia.
  • Palavras-chave: infância, família.

Para Outra Maré | Francisca Alarcão | 2020 | Portugal | 10’

Fotografo os cantos de Moledo que mais me comovem. As rochas cobertas de algas, as árvores que marcam os caminhos do Pinhal e a rebentação das ondas do mar chamam por um tempo que já lá vai.

  • Áreas: Fotografia.
  • Palavras-Chave: memória, retrato, família.

10 MAR (qua) | 10.30 | Cinemateca Júnior | 3º ciclo +

Paris Calligrammes | Ulrike Ottinger | 2020 | França, Alemanha | 131’

Numa enxurrada de imagens e sons de arquivo acompanhados de excertos das suas próprias obras e filmes, Ottinger ressuscita os velhos Saint-Germain- des-Prés e Bairro Latino com os seus cafés literários e clubes de jazz e revisita encontros com exilados judeus, a vida com a sua comunidade artística, a visão do mundo dos etnólogos e filósofos parisienses, as convulsões políticas da Guerra da Argélia e do Maio de 1968 e o legado da época colonial. “Segui as pisadas das minhas heroínas e dos meus heróis”, conta Ottinger. “Onde quer que os tenha encontrado, é aí que surgirão neste filme.”

  • Áreas: Estudos da Cultura, Estudos Europeus, Ciência Política, Artes.
  • Palavras-Chave: comunidade, política, arte.

Também lhe pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *