Noite Branca: o novo programa da Companhia Nacional de Bailado - Pumpkin.pt

Noite Branca: o novo programa da Companhia Nacional de Bailado

Noite Branca CNB

De 23 de setembro a 3 de outubro não podem, mesmo, perder este programa!

A Companhia Nacional de Bailado celebra o encontro entre a imaginação e a técnica em tons suaves que nos remetem para os atos brancos dos bailados clássicos; celebram esses momentos através da diversidade que as obras, que compõem este programa, integram.

Luís Marrafa, coreógrafo português sediado em Bruxelas, apresenta em estreia absoluta a sua primeira coreografia para os bailarinos da CNB, Snow.

Yannick Boquin regressa à Companhia, não como professor convidado, mas agora para coreografar uma nova obra onde a fantasia e o engenho balético são exaltados num pas de deux sobre uma composição de Shostakovich.

A graciosidade e inteligência do movimento do mestre George Balanchine, é revisitada neste programa através do seu emblemático Concerto Barocco que após 36 anos da sua estreia nesta Companhia, em 1984, regressa agora ao palco do Teatro Camões.

Noite Branca - CNB
Concerto Barroco; Ensaio; Ballet; Dança; CNB; Teatro Camões; Lisboa; © Hugo David 2021;

Snow

Snow parte de duas constatações interligadas: numa época de galopante sobreaquecimento global, a neve está em acelerada desaparição dos nossos Invernos; com esta desaparição, uma outra, porventura menos preocupante, se anuncia: a ausência de bonecos de neve, esses proto-totems que nos mantinham ligados a uma dada tradição folclórica e mitológica dos povos ditos nórdicos.

Desta dupla constatação surge uma proposta coreográfica que coordena dois olhares distintos, mas complementares, ao fenómeno da neve enquanto manifestação física e enquanto projeção social.

Assim, se a expressão da forma molecular da neve encontrará eco nos movimentos abstratos de um corpo de bailarinos, a progressiva transformação deste movimento em composições fluidas e mais concretas remeterá para esse outro mundo, entre a fantasia e a realidade, onde habitam seres cujas funções lúdica, religiosa ou supersticiosa se confundem e diluem.

Luís Marrafa, Setembro 2020.

Coreografia: Luís Marrafa
Composição musical original: Tiago Cerqueira
Figurinos: Aleksandar Protic
Desenho de Luz: Zeca Iglèsias
Interpretação Bailarinos: CNB
Produção: Companhia Nacional de Bailado

Shostakovitch Pas de Deux

A ideia de coreografar um pas de deux, estruturado a partir do sentido tradicional clássico – adágio, solos masculinos e femininos, coda – está presente em mim há muito tempo.

Foi através da pesquisa do vasto e maravilhoso repertório do compositor Dmitri Shostakovitch que encontrei a inspiração para a minha criação.

Este pas de deux desafiador da técnica de dança clássica imprime com os seus movimentos fluidos uma imensa alegria em dançar.

Yannick Boquin, Setembro 2020.

Coreografia e desenho de luz: Yannick Boquin
Música: Dimitri Shostakovitch
Figurinos: Sinner Boquin
Interpretação: Bailarinos da CNB
Produção: Companhia Nacional de Bailado

Concerto Barocco

Concerto Barocco começou como um exercício para a School of American Ballet e foi dançado pelo American Ballet Caravan na sua lendária digressão sul americana em 1941. Posteriormente entrou no repertório dos Ballet Russes de Monte Carlo.

Em 1948 foi uma das três peças no espetáculo inaugural do New York City Ballet e em 1951 Balanchine elemina definitivamente os figurinos originais, vestindo os interpretes com roupas de treino diário, provavelmente a primeira vez que se via aquilo a que passou a ser nomeado como o traje típico de Balanchine para obras contemporâneas.

Concerto Barocco, é uma obra abstrata desenvolvida a partir da partitura musical de Johann Sebastian Bach. A coreografia corresponde a uma personificação da música nos corpos dos bailarinos, uma característica muito
presente na obra do mestre americano George Balanchine.

Coreografia: George Balanchine
Música: Johann Sebastian Bach – Concerto in D minor for Two Violins, B.W.V.
Remontagem Coreográfica: Nanette Glushak
Interpretação: Bailarinos da CNB
Interpretação Musical: Orquestra Sinfónica Portuguesa
Direção Musical: Cesário Costa
Estreia absoluta: Nova Iorque, Hunter College Theatre, 29 de maio de 1941
Estreia na CNB: Lisboa, Teatro Municipal de São Luiz, 31 de maio de 1984
© The George Balanchine Trust

Mais Informações:

Datas e Horários

Setembro:

  • Quinta-feira (23, 30) e sexta-feira (24) às 19h30
  • Sábado (25) às 18h30
  • Domingo (26) às 16h

Outubro:

  • Sexta-feira (1) às 19h30
  • Sábado (2) às 18h30
  • Domingo (3) às 16h

Mais informações:

  • Local: Teatro Camões, Lisboa
  • Classificação etária: M/ 6
  • Duração: 1h30 aprox.

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<