Museu do Oriente celebra Ano do Tigre com oficinas para toda a família - Pumpkin.pt

Museu do Oriente celebra Ano do Tigre com oficinas para toda a família

Museu do Oriente celebra Ano do Tigre  com oficinas para toda a família

No dia 1 de Fevereiro comemora-se a entrada num novo ano lunar, o Ano do Tigre, e o Museu do Oriente celebra a ocasião com atividades para toda a família que dão a conhecer o animal regente e o seu simbolismo.

O Ano Novo

O programa das celebrações inicia-se a 22 de Janeiro com a oficina “O Ano Novo”, para bebés até aos 12 meses. Nesta sessão de luz, ritmo e cor, pais e filhos vão festejar juntos a chegada do novo ano, com muitos papelinhos vermelhos e batidas em tambor, como manda a tradição chinesa.

A Lenda do Zodíaco Chinês

Também neste dia, bebés entre os 12 e os 36 meses são convidados a escutar “A Lenda do Zodíaco Chinês”. Diz-se que, há muito tempo atrás, Buda lançou a todos os animais da floresta um convite para celebrar o Ano Novo, mas apenas 12 animais apareceram, cada um por sua vez. Sensibilizado com a sua presença, Buda decidiu compensá-los, atribuindo, a cada animal, um ano do calendário lunar. A função e o simbolismo atribuído a cada um, é o que se vai aprender nesta oficina.

A Lua também amua?

Para as crianças entre os 3 e os 5 anos, é no dia 29 de Janeiro que vão poder descobrir se “A Lua também amua?” numa divertida sessão que explora as várias formas da lua e o significado do ano lunar.

Histórias com… o tigre com recortes de papel

Recorrendo a uma arte milenar, na China ornamentam-se as casas com a ajuda de recortes de papel que se acredita trazerem sorte, prosperidade e riqueza para o ano que começa. Em véspera de Ano Novo, o Museu do Oriente desafia a recriar esta tradição, com a oficina “Histórias com… o tigre com recortes de papel”, no dia 30 de Janeiro.

Presença Portuguesa na Ásia

E, porque no último domingo de cada mês, o Museu do Oriente organiza visitas orientadas às suas exposições, a visita de dia 30 é uma oportunidade para explorar o relacionamento entre Portugal e o Oriente, desde o século XV até aos nossos dias, através dos objectos em exposição na “Presença Portuguesa na Ásia”, e ficar a conhecer a história de “A Ópera Chinesa” através de 280 peças como trajes, toucados, perucas, máscaras e fotografias, numa impressionante cenografia.

No dia 1 de Fevereiro, uma visita orientada temática em torno da chegada de mais um ano lunar é a proposta para celebrar o novo ano chinês. A visita realiza-se às 17.00 e a participação é gratuita, mediante inscrição.

Lai Si – da China para ti!

“Lai Si – da China para ti!” é a sugestão para crianças entre os 7 e os 12 anos, no dia 5 de Fevereiro, que as ensina uma tradição chinesa, típica desta quadra. Na China, são distribuídos envelopes vermelhos durante a festa de Ano Novo. Oferecer um lai si representa uma oferta para quem é presenteado e para quem presenteia, que chama assim, também, para si, a boa sorte.

Casaco de Dragão

Já no domingo, 6 de Fevereiro, é em conversa com as peças que os mais novos vão descobrir o “Casaco de Dragão”, um dos objectos em exposição no Museu do Oriente que, certamente, muitas histórias tem para contar sobre o novo ano lunar.

Lanternas Chinesas

Desde a Lua Nova, que marca o início do ano, até à Lua Cheia, os festejos em torno do Ano Novo multiplicam-se. Ao 15.º dia, correspondente à noite de lua cheia, ocorre o Festival das Lanternas, que marca o encerramento das comemorações de entrada no novo ano. No dia 12 de Fevereiro, “Lanternas Chinesas” ensina a construir exemplares originais para que todos participem neste ritual.

No dia 13, é com a oficina de Caligrafia Chinesa que os mais pequenos se vão iniciar nesta arte milenar.

Constrói a tua máscara

Ainda inspirados nas festividades e encerrando o programa a elas dedicado no Museu do Oriente, no dia 26 de Fevereiro, o desafio é, com base  na lenda do chamamento de Buda, crianças dos 7 aos 12 anos construam a máscara do animal do zodíaco chinês com que mais se identificam, na oficina “Constrói a tua máscara”.

Na China, o tigre é considerado o rei dos animais, símbolo de vivacidade e força, sendo também o representante do princípio masculino (Yang) na natureza. Por estas razões, o tigre é um animal auspicioso muito adorado na China, estando representado em vários aspectos da cultura tradicional. Para 2022, espera-se que a regência do tigre, com a sua força e vivacidade características, seja indicativa de transformação rumo a um novo paradigma social.

Também lhe pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<