Escolas > Notícias para escolas > Passatempos e iniciativas

Já foram anunciados os vencedores da 2ª edição do projeto Escola Amiga da Criança

escola amiga das crianças

A Escola Secundária de Francisco Franco, da Região Autónoma da Madeira, com o seu projeto Banco dos Afetos, foi a grande vencedora desta iniciativa.

Depois do sucesso da primeira edição, que contou com mais de 1.000 candidaturas e mais de 300 ideias distinguidas, o desafio foi novamente lançado a todas as escolas portuguesas, com novidades para professores, escolas e alunos: mais categorias, alargamento nos ciclos de escolaridade e novo selo: “O meu professor”.

A 2ª edição do projeto Escola Amiga da Criança, pensada pela CONFAP e a LeYa, pretendia partilhar e distinguir iniciativas extraordinárias, desenvolvidas pelos estabelecimentos de ensino, que contribuam para um desenvolvimento mais feliz dos alunos no espaço escolar.

Uma escola que educa é uma escola feliz e a verdade é que os projetos desenvolvidos foram de facto incríveis!

Os vencedores da 2ª edição da Escola Amiga da Criança

Grande Vencedora

A Escola Secundária de Francisco Franco, da Região Autónoma da Madeira, com o seu projeto “Banco dos Afetos, foi a grande vencedora desta iniciativa e vai ver a sua biblioteca repleta com 5000 euros em livros LeYa.

O Banco dos Afetos é uma rede de angariação de voluntários (conta já com cerca de 200)  na escola referida e apresenta duas esferas de atuação: uma interna, com voluntários na estrutura do Banco de Afetos a prestar informações sobre as missões do mesmo, e outra externa, enviando voluntários para as instituições com quem tem parceria: Centro da Mãe, Delegação da Cruz Vermelha da Madeira, Projeto “Quem se importa”, Canil Vasco Gil, Serviço de Sangue e Medicina Transfusional (Banco de Sangue), SANAS e Cáritas.

Categoria Alimentação, Saúde e Ambiente

A escola vencedora foi a Escola EB 1/JI de Santana, também da Madeira, com o projeto Enferbot/Pinóquio com Ciência.

O projeto Enferbot (aplicado ao 1º ciclo) teve como objetivo principal promover o conhecimento face às diferentes funcionalidades dos órgãos do corpo humano, sensibilizar e orientar para a promoção de hábitos saudáveis, aplicando uma vertente prática, interdisciplinar e aberta à comunidade.

O Pinóquio com ciência (aplicado ao pré-escolar) permitiu despertar sentidos e conhecimentos, utilizando na sua base um conto infanto-juvenil. O conto foi explorado de forma diversificada e apelativa, os sentidos e órgãos dos sentidos foram analisados, realizando-se jogos sensoriais, saídas do espaço físico da escola, aprendizagem de músicas/lengalengas e registos para efetivar as interiorizações.

Categoria Atividades extracurriculares e/ou interdisciplinares

Quem venceu na categoria “Atividades extracurriculares e/ou interdisciplinares” foi a Escola EB 2/3/S Águas Santas, do distrito do Porto, com o projeto QCENA (grupo de teatro escolar).

QCENA é um Grupo de Teatro, dinamizado por um grupo de professores da escola que têm em comum o gosto pela arte dramática e a convicção de esta é uma via privilegiada de proporcionar aos alunos aprendizagens únicas e diversificadas.

Categoria Cidadania e/ou Inclusão

Na categoria “Cidadania e/ou Inclusão”, a escola vencedora foi a Escola EB 2/3/S Vila Franca do Campo, dos Açores, com o projeto Filosofâncias – Comunidades de Investigação Filosófica.

Filosofâncias promove:

– o desenvolvimento da capacidade de verbalização de razões que justificam pontos de vista e de tomadas de decisão por parte das crianças;

– o pensamento crítico e criativo, competências-chave que fazem parte do perfil dos alunos à saída do ensino obrigatório;

– um espaço e um tempo de liberdade e segurança para a discussão de questões do interesse das crianças com origem nas suas perguntas, dúvidas e temas de interesse;

– a equidade uma vez que as sessões de FpC acontecem num ambiente seguro e rico em estímulos intencionalmente selecionados para garantir uma igualdade de oportunidades;

– a experiência de cidadania ativa.

Categoria Digital

Já na categoria “Digital”, a Escola EB 2/3 Dr. Carlos Pinto Ferreira, do distrito do Porto, com o seu projeto Robô Junqueirinho, foi a premiada.

Este robô foi criado para as crianças que frequentam as salas de aula hospitalares, para que o possam utilizar de uma maneira inclusiva, interativa e lúdica, e aprender ou relembrar os conteúdos programáticos do 1º ciclo sobre o corpo humano.

O robô foi idealizado e criado pelos alunos do segundo e terceiro ciclo que frequentam o Clube de Programação e Robótica com a utilização de recursos já existentes no Clube, e pelos alunos do primeiro ciclo, que contribuíram com a elaboração das fichas sobre os sistemas e órgãos do corpo humano e a seleção das canções tradicionais.

Categoria Envolvimento Família-Comunidade

Quanto à categoria “Envolvimento família-comunidade”, quem venceu foi a Escola EB 1/JI Barrocas, do distrito de Aveiro, com o projeto CicloExpresso.

Um projeto direcionado aos alunos e a toda a comunidade escolar, no sentido de promover o desenvolvimento sustentável do planeta. Sendo Aveiro uma cidade plana, que ao longo dos anos tem apostado na mobilidade sustentável, a ideia surge e assim começa o CicloExpresso.

Inspirado num projeto já conhecido como “Expresso do Oriente” que nasceu em Lisboa, um conjunto de pais decidiu levar os seus filhos para a escola de bicicleta e a estes foram-se juntando outros e outros, sendo nesta altura já considerado o “Comboio” dos meninos da escola das Barrocas.

Categoria Espaços Escolares

Na categoria “Espaços Escolares”, a escola vencedora foi a Escola EBI/S das Lajes do Pico (EBSLP), dos Açores, com o projeto Amigos do Picadeiro. Com as novas instalações da EBSLP, uma nova vida começou. A necessidade de dar resposta a alunos com dificuldades fez com que novos projetos nascessem. Dando continuidade a um projeto já com três anos, pensou-se na construção de um picadeiro, facilitando a vida a todos os intervenientes neste processo.

Categoria Segurança

O hacker lobo mau e os três pisquinhas, da Escola EB 1 de Monserrate, também dos Açores, foi o projeto vencedor da categoria “Segurança”.

Aproveitando a magia e o prazer dos contos tradicionais, os alunos do 4.º B, recriaram uma história: “O HACKER LOBO MAU E OS 3 PISQUINHAS”, onde retratam os perigos que correm com a falta de cuidado e facilitismo dos quais as redes virtuais não se compadecem.

O selo Escola Amiga da Criança procura reconhecer e premiar ideias extraordinárias em sete categorias:

1) Alimentação, Saúde e Ambiente;

2) Cidadania e/ou inclusão;

3) Digital;

4) Envolvimento família-comunidade;

5) Espaços escolares (recreio, convívio, etc.);

6) Segurança;

7) Atividades extracurriculares e/ou interdisciplinares.

Serão distinguidos com o selo «Escola Amiga da Criança» os estabelecimentos de ensino que conceberem e concretizarem ideias/projetos originais em, pelo menos, uma das categorias.

Essas ideias/projetos deverão mobilizar os recursos internos da escola, sem qualquer financiamento externo de entidades públicas ou privadas, e visar a construção de uma escola melhor e mais amiga da Criança.

O selo «Escola Amiga da Criança» apresenta-se sob a forma de uma peça em acrílico.

Quem pode participar?

todos os estabelecimentos de ensino portugueses – públicos ou privados, do pré-escolar, dos 1.º, 2.º e 3.º ciclos de Ensino Básico, do Ensino Secundário e do Ensino Profissional.

Quem pode submeter a ideia?

– Diretores de escola ou de agrupamento;

– Professores;

– Associações de Pais.

Os projetos devem ser submetidos via formulário (brevemente a disponibilizar no site Escola Amiga da Criança). Todos os campos deverão ser preenchidos.

Prazos:

– Submissão dos projetos até 5 de abril de 2019;

–  Avaliação dos projetos pela Comissão de Avaliação até 15 de maio de 2019;

– Publicação da lista de «Escolas Amigas da Criança» – 2.ª Edição – e respetivos vencedores e menções honrosas a 1 de junho de 2019, Dia Mundial da Criança.

Prémios:

Ao vencedor será entregue um cheque no valor de 5.000€ válido em livros à escolha da escola e alunos, e às menções honrosas de cada categoria caberá um cheque de 500€ em livros.

Uma forma de premiar não só o projeto vencedor, mas também todos aqueles que, no seu segmento, se destacam pela inovação, criatividade e autenticidade de professores e alunos.

Consulte o Regulamento da Escola Amiga das Crianças aqui. 

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *