Igualdade de género na escola: como promover? - Pumpkin.pt

Como promover a Igualdade de Género na escola? Sugerimos várias iniciativas!

igualdade de género nas escolas

Como meio privilegiado de socialização, a escola tem como missão promover a igualdade de oportunidades e educar para os valores do pluralismo e da igualdade entre meninos e meninas, futuros homens e mulheres.

Trabalhar para a igualdade de género é uma preocupação e um objectivo transversal à sociedade: deve existir em casa, mas também na escola, palco muitas vezes de desigualdades e desequilíbrios na atribuição de tarefas ou na gestão de conflitos. Felizmente, são várias as iniciativas que promovem a igualdade de género na escola.

Urge desenvolver um esforço para a eliminação da discriminação em função do género e, consequentemente, de relações de intimidade marcadas pela desigualdade e pela violência, constituindo-se parte essencial da educação para os direitos humanos, para o respeito pelos direitos e pelas liberdades individuais na perspetiva da construção de uma cidadania para todos.

Direcção Geral de Educação

É neste sentido que destacamos algumas iniciativas focadas na igualdade de género na escola, que têm como objectivo mostrar às crianças a importância do respeito pelo outro – independentemente de género, raça, etnia, religião, orientação sexual -, além de reforçarem o papel da mulher como figura tão válida quanto a do homem.

Temos também outras sugestões de atividades que empoderam as meninas, lhes dão ferramentas para que possam seguir os seus sonhos e incentivam os meninos a entendê-las como iguais.

Alguns destes projectos não divulgaram ainda os seus programas para este ano letivo, pelo que sugerimos que entrem em contacto direto com os organizadores para mais informações.

Projetos e Iniciativas para Promover a Igualdade de Género nas escolas

Um Género de Escola

crescer + igual

O projeto ‘Um Género de Escola!’ foi criado de modo a consciencializar e sensibilizar para a importância do debate e da prática de uma educação sobre género que promova a igualdade entre rapazes e raparigas, homens e mulheres, na escola e para a escola.

Foi desenvolvido como projeto-piloto durante 12 meses em 2 escolas de Lisboa, envolvendo 11 turmas, mais de 200 alunos e alunas do 5º e 10º ano e cerca de 50 docentes.

O Manual Pedagógico rumo à Igualdade de Género foi pensado como material de apoio a quem queira replicar ‘Um Género de Escola’, esperando que possa servir a mais educadores e educadoras.

Privilegiou-se a utilização de metodologias não assentes na transmissão de conhecimentos em modelos expositivos tradicionais, onde o/a docente está no centro.

Ao invés, aliam-se metodologias criativas, tendencialmente mais aliciantes para alunos e alunas, através de atividades que incluem filmagens, construções, registo audiovisual/visual, entrevistas a pares, entre outras, seguindo técnicas de ‘design thinking’ nas quais perguntar, imaginar, testar, desenhar e fazer, contribuem para potenciar o envolvimento e as aprendizagens. 

Estes materiais pedagógicos estão assentes em estratégias educativas ativas, baseadas em modelos positivos e na ideia de que o género se aprende, se negoceia e se constrói nas relações entre todas as pessoas, tendo sempre como eixo norteador uma educação para o pleno exercício dos direitos humanos. 

Engenheiras por um Dia

engenheiras por um dia

O Projeto Engenheiras Por Um Dia promove, junto das estudantes de ensino não superior, a opção pelas engenharias e pelas tecnologias, desconstruindo a ideia de que estas são domínios masculinos.

Uma iniciativa da Secretária de Estado para a Cidadania e a Igualdade, Rosa Monteiro, este projeto é coordenado pela Comissão para a Cidadania e a Igualdade de Género (CIG), em articulação com a Carta Portuguesa para a Diversidade (APPDI), o Instituto Superior Técnico e a Ordem dos Engenheiros e envolve uma rede de 70 entidades parceiras (9 das quais municípios), 41 escolas básicas e secundárias e 15 instituições de ensino superior.

Desde a sua criação, em 2017, já chegou a 10.411 jovens dos ensinos básico e secundário, em 460 atividades, entre práticas laboratoriais, sessões de role model e mentoria.

O projeto está agora integrado no Plano de Ação para a Transição Digital, em articulação com o Programa INCoDe.2030.

Desafiar Estereótipos

desafiar estereótipos

Desafiar Estereótipos” é um projecto direccionado para a comunidade escolar, em particular para os/as alunos/as do Ensino Secundário, que explora, para uma melhor compreensão da temática geral, os diversos contextos de vida onde a discriminação em função do género acontece, nomeadamente, na conciliação entre a vida pessoal, familiar e profissional; nos contextos de poder e de tomada de decisão e em casos de violência de género.

Através do livro, de uma performance teatral ou peça de teatro, e de temas musicados por Ana Bacalhau, os jovens poderão reflectir e debater sobre conceitos associados ao tema da igualdade: estereótipos de género; usos do tempo; papéis de género; androcentrismo; empoderamento; capacitação; assédio sexual; entre outros.

O livro, para além de três histórias ficcionadas sobre a igualdade de género e oportunidades inclui também as letras das músicas compostas por Ana Bacalhau para o projecto, capítulos com enquadramento conceptual, exercícios, dados estatísticos, links e contactos úteis.

O projecto “Desafiar Estereótipos” beneficia de uma parceria estratégica com a Plataforma Portuguesa para os Direitos das Mulheres, que garante a qualidade técnica dos conteúdos explorados.

Todas as instituições que trabalhem com o público-alvo do projecto poderão receber a apresentação do mesmo, tendo sempre incluídas uma performance teatral e uma performance musical de Ana Bacalhau com os temas compostos para “Desafiar Estereótipos“.

No site do Desafiar Estereótipos podem encontrar mais informação sobre o projeto e comprar o livro, bem como entrar em contacto com a equipa de Ana Bacalhau para saber como levar o conceito à vossa escola.

Corações com Coroa vai à Escola

CCC vai à Escola

CCC vai à Escola” é um projeto artístico-pedagógico validado pela Direcção-Geral de Educação que reforça a importância de alunos e alunas conhecerem os seus direitos.

Dirigido a alunos do 9º ano, consiste numa peça de teatro – “Elfos e Anões”, desenvolvida em parceria com o Teatro Meridional, escrita pelo dramaturgo Jorge Palinhos e encenada por Natália Luiza – a ser apresentada em contexto de sala de aula, seguido de exercícios pedagógicos com a turma, liderados por uma técnica da CCC.

A peça de teatro incide sobre tópicos de trabalho diário da Associação Corações com Coroa e pretende promover a reflexão acerca de questões existentes no quotidiano escolar nomeadamente a violência no namoro, a gravidez adolescente, a contracepção, o bullying e o cyberbullying.

O modelo de intervenção, assim como o conteúdo do projeto, enquadram-se na área temática da Educação para a Cidadania, com particular enfoque na Educação para a Igualdade de Género e para a não-violência.

Guiões de Educação

O Projeto “Guiões de Educação Género e Cidadania: uma estratégia para o mainstreaming de género no sistema educativo” incide sobre a integração da igualdade entre mulheres e homens na prática docente e na organização e cultura escolares.

É dirigido a profissionais de educação de todos os ciclos do ensino não superior – educação pré-escolar, ensino básico e ensino secundário – do Continente e das Regiões Autónomas da Madeira e dos Açores.

O Projeto visa a transversalização efetiva, continuada e sustentada da igualdade de género, isto é, da igualdade entre homens/rapazes e mulheres/raparigas na educação escolar e no currículo do ensino não superior.

Nos Guiões do pré-escolar e do 1º ciclo, as sugestões práticas consistem em exemplos de situações pedagógicas a criar no quadro das orientações curriculares do pré-escolar e do currículo do 1ºciclo.

Nos Guiões do 2º e do 3º ciclos as atividades propostas organizam se em torno de temas transversais ao currículo, suscetíveis de serem trabalhados em qualquer disciplina. Os temas são:

  • Atividades Lúdico-Motoras dos Tempos Livres
  • Personagens da Literatura infanto juvenil
  • História e Património
  • Corpo
  • Saúde
  • Liderança
  • TIC
  • Escolhas Vocacionais

O Guião destinado ao ensino secundário centra-se na leitura crítica, na ótica do género, dos programas de algumas disciplinas, introduzindo exemplos de contributos dos Estudos sobre as Mulheres e dos Estudos de Género de cada área científica nas respetivas disciplinas do currículo. As disciplinas são:

  • Português
  • Inglês
  • Filosofia
  • Biologia
  • Educação Física
  • História da Cultura e da Arte
  • História
  • Economia
  • Área de Integração

A cultura como promotora da Igualdade de Género na escola

livros para meninas

Não há “livros para meninas” e “livros para meninos”, mas há livros que podem ajudar meninas e meninos a perceber que os seus direitos, obrigações, capacidades e vulnerabilidades são os mesmos.

Reunimos uma lista com várias sugestões de leitura que podem adoptar na sala de aula de forma a criar uma maior consciência para a igualdade de género.

Espreitem também as nossas sugestões de filmes com personagens femininas e, a propósito do Dia das Bruxas, a lista que fizemos com filmes de Halloween com protagonistas femininas. Afinal, há alguns séculos, as mulheres fortes eram vistas como feiticeiras e queimadas nas fogueiras. É também por elas que lutamos, hoje, pelo diminuir das barreiras do preconceito.

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<