Bebés > Saúde e segurança > Segurança do bebé

Como impedir as crianças de meter tudo na boca?

como-impedir-as-criancas-de-meter-tudo-na-boca - unsplash

Este é um drama para muitos pais, especialmente quando continua a acontecer enquanto a criança está em idade escolar.

A maioria das crianças começa a colocar objetos na boca bastante cedo, assim que começam a conseguir agarrar os objetos e começam a nascer os dentes. O problema é quando esse hábito se mantém por alguns anos. Apesar de ser difícil eliminar estes hábitos, há que ser consistente nas suas ações e paciente para conseguir que a criança deixe de colocar tudo o que encontra na boca.

Os atos de morder e roer são comportamentos normais em bebés, devido ao nascimento dos dentes e à comichão/dor que sentem nessa altura e que precisam de aliviar de alguma forma, mas também são comuns em crianças pequenas, até cerca de um ano e meio de idade, altura até à qual as crianças exploram o ambiente à sua volta e através do qual começam a aprender a identificar o gosto e a textura dos objetos que introduzem na boca. À medida que vão crescendo este ato “vai-se transformando num hábito” e, consequentemente, num vício, que, com o passar do tempo, fica mais difícil de deixar. É aqui que entra a intervenção dos pais.

O que podem os pais fazer para desencorajar esse comportamento?

De acordo com o diretor do gabinete de psicologia infantil da Universidade Nova Southeastern, na Flórida, nos EUA, Roseanne Lesack, os pais podem perceber exatamente o que estará acontecer para que as crianças tenham este comportamento. Para os mais velhos, a facilidade de se fazer compreender através da linguagem pode ajudar os pais a decifrar o mistério que justifica a razão de continuarem a colocar frequentemente objetos na boca, seja ela resultado de uma pressão social e consequente ansiedade ou uma questão de saúde. Segundo o especialista, nas crianças mais pequenas pode ser mais difícil o “diagnóstico”.

como-impedir-as-criancas-de-meter-tudo-na-boca - unsplash - Foto Sebastián León Prado - pai e filho
Foto: Sebastián León Prado (Unsplash)

O primeiro passo é verificar se na saúde oral da criança se registou alguma mudança. Há ainda que compreender e responder a uma série de perguntas, entre as quais: Andam as crianças com muita sede?; Estão doentes?; Estão a nascer os dentes?. Isto porque, de acordo com Roseanne Lesack, pode haver uma razão legítima que faça a criança ter a necessidade de estar constantemente a colocar objetos na boca.

A verdade é que a dentição está ainda em formação na idade pré-escolar e no início do seu percurso escolar, mas colocar comandos de televisão, brinquedos ou roupa na boca não são os métodos mais eficazes para que a criança possa acalmar o desconforto que o nascimento dos dentes podem causar. Existem produtos específicos para esse efeito.

Os pais têm de estar presentes e “retirar continuamente o objeto das mãos dos filhos”, aconselha o médico.

“Relembrem-nos que são suficientemente crescidos para brincar sem colocar brinquedos na boca. E se o voltarem a fazer, retirem-lhe o brinquedo por instantes e depois devolvam-no. Se voltarem a colocá-lo na boca, considerem tirar-lhe o objeto pelo tempo que essa brincadeira durar”, sugere.

Portanto, como impedir as crianças de meter tudo na boca?

  • Tenham em atenção que isso pode acontecer por várias razões, como nascimento de dentes, feridas na boca, uma forma de se acalmar, chamada de atenção ou já se tornou um hábito/vício;
  • Brinquem com eles para alterar a forma de brincar, intervindo quando os maus hábitos voltam;
  • Trilhem uma intervenção consistente e persistente para evitar este comportamento – muitas vezes, dar-lhes mais atenção é o mais adequado e a melhor forma de resolver o problema;
  • Não se esqueçam que os hábitos são difíceis de eliminar, mas não desistam.

Além disso, cada vez que as crianças são presenteadas com um novo brinquedo, relembre-as que os brinquedos não são para serem colocados na boca. Mas, no caso de elas estarem a colocar coisas na boca para chamar a atenção nos pais, sentem-se e brinque.

Foto: Chelsea Fern (Unsplash)

Os dias estão cada vez mais ocupados e as pessoas têm cada vez menos tempo para a família e para os seus deveres familiares, mas os pequenos vão sempre pedir um pouco de atenção quando sentem que os pais estão muito ocupados e distantes. Este e outros comportamentos podem indicar quando a criança está mais carente de atenção.

“Tudo o que eles querem que os pais façam é sentarem-se e dar-lhes aconchego e carinho e algum tempo de brincadeira e tempo para estar com cada um dos pais e outro tanto para estarem em conjunto”, diz Lesack.

Veja também:

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *