Na realidade para que servem as vacinas?

Na realidade para que servem as vacinas?

Na realidade para que servem as vacinas?

O Dr. Armando Fernandes - especialista em Pediatria do Desenvolvimento no Centro Pediátrico de Telheiras - explica quais os objetivos da vacinação. 

A vacinação constitui o meio mais eficaz de medicina preventiva, constituindo uma das mais potentes armas de defesa contra doenças muito graves.

Estima-se que salvam, por ano, entre sete e oito milhões de vidas no mundo inteiro, isto é, salvam mais vidas do que qualquer outra medida sanitária, conseguiram erradicar a varíola do planeta, e deixaram ao alcance de qualquer governo sensato, por exemplo a eliminação da poliomielite, da difteria, do sarampo, da tosse convulsa, entre outras doenças.

Objetivos da vacinação:

1. Proteger o indivíduo contra a doença e suas complicações;

2. Proteger a comunidade contra a transmissão da doença através dos indivíduos infetados (com ou sem evidência de doença);

3. Reduzir o número de suscetíveis de modo a que a “imunidade de grupo” os possa proteger, conseguindo-se através de uma elevada percentagem de indivíduos vacinados;

4. Erradicar a doença.

Mecanismo desencadeado pela vacinação :

Quando somos infetados por um vírus, bactéria, ou outro agente causador de uma doença transmissível, o nosso corpo reage produzindo substâncias chamadas anticorpos. Estes anticorpos combatem o agente invasor (chamado antigénio) e ajudam-nos a recuperar da doença. Em geral estes anticorpos permanecem no nosso corpo, mesmo depois de estarmos curados, evitando que apanhemos a mesma doença mais tarde.

A isto chamamos ter imunidade à doença. Os bebés nascem imunes a muitas doenças, pois recebem anticorpos protetores através da placenta da mãe. Mas esta imunidade do recém-nascido desaparece durante o primeiro ano de vida, deixando o bebé exposto aos agentes infeciosos.

As vacinas permitem que mantenhamos o bebé imune a muitas doenças, mesmo depois dele perder os anticorpos recebidos da mãe. Dentro da vacina estão os agentes causadores de doenças (antigénios) num estado muito enfraquecido. A vacina “engana” o nosso organismo, fazendo-o pensar que estamos a ser invadidos pelo agente da doença.

O corpo reage produzindo anticorpos que permanecem durante muito tempo ativos. Se a criança vacinada for exposta à doença mesmo a sério, estará protegida contra esta.

Em suma:

Vacinação – Introdução de antigénios.

Indivíduo – Resposta imunológica.

Imunidade –Proteção contra a doença.

Em caso de dúvida, ligue para a SAÚDE 24 (808 24 24 00) ou contacte o Pediatra dos seus filhos.

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *