Está na hora do meu bebé dormir: o que devo fazer?

Está na hora do meu bebé dormir. O que devo fazer?

Dicas para o bebé dormir melhor!

O sono é o reflexo do equilíbrio total da criança. Saibam o que fazer para o vosso bebé dormir de forma tranquila, rápida e fácil com as dicas do Dr. Armando Fernandes.


O estabelecimento e a manutenção de padrões estáveis de sono noturno é da maior importância para a criança e para os pais. Para a criança, um sono adequado de noite é uma pré-condição essencial para um bom alerta durante o dia e para uma boa resposta a interações sociais e outros estímulos ambientais.

O sono é um equilíbrio biológico fundamental, mas é um equilíbrio frágil, que se constrói progressivamente nos primeiros meses de vida. Alternância ciclos de “sono não REM” (NREM)/”sono REM” (REM) (este último caracteriza-se por movimentos oculares rápidos, pulso irregular, respiração irregular, atonia muscular e sonho).

Nos lactentes e crianças mais pequenas, a diferenciação do sono ainda não está completa, sendo constituído por dois estados: o ativo (corresponde ao REM) e o calmo (corresponde ao NREM), havendo por vezes um estado intermédio indeterminado.

Posteriormente, começa a individualização dos estados como nos adultos com os ciclos de REM/NREM a aumentarem de duração com a idade (90 minutos em idade escolar). Os dois estados REM/NREM são interrompidos por despertares breves, em que o EEG se altera no sentido da vigília, e há aumento do tónus muscular, com movimentos. Estes despertares são oportunidades de acordar.

A que horas deve o bebé dormir?

A hora de dormir dos filhos é uma ocasião desgastante para muitos pais. O bebé acorda muitas vezes durante a noite para ser alimentado, ou, já maior, nega-se a ir para a cama, a dormir, ou ainda insiste em levantar-se.

Com 4-6 meses de idade, 90% dos bebés estão em condições de dormir tranquilos a noite toda e deixar que os pais também o façam.

Para evitar esses transtornos, é importante ensinar à criança onde dormir (na cama própria, se possível) e quando dormir (ou seja, à noite). E também a dormir por si mesma e a voltar a dormir por si mesma quando acordar durante a noite.

Alimentar o seu filho de madrugada, permitir que ele fique acordado até sentir-se exausto ou deitá-lo a seu lado para faze-lo dormir são procedimentos que apenas prolongam os problemas.

Quando a criança se recusa a ir para a cama, muitos pais curvam-se ante a teimosia, permitindo aos filhos ver televisão até que adormeçam ou permanecerem acordados até a hora em que os adultos vão dormir.

Não deveremos esquecer que as crianças têm necessidades de sono diferentes de acordo com a idade e dentro da mesma idade também existe uma grande variabilidade individual, como pode ser constatado nas figuras seguintes.

Como ajudar o bebé a dormir melhor?  

Determine a que hora que quer que o seu filho vá para a cama (que deverá ser a mesma durante toda a semana) e crie um ritual para marcar o momento. Por exemplo, dar banho, vestir o pijama ou outra roupa, jantar, faze-lo escovar os dentes, ler-lhe uma história, etc.

Nessas ocasiões, procure tornar o ambiente calmo, escuro e confortável (nem excessivamente quente nem excessivamente frio) e evite deixar a criança agitada por estímulos, como brincadeiras ou cócegas.

Assegure uma cama confortável que seja utilizada apenas para dormir e não para outras atividades (por exemplo, para ler, ver televisão ou ouvir música)

O seu filho deve ser deitado ainda acordado.

Se o seu filho quer conversar consigo na hora de dormir. Procure fazer isso no quarto dele, não no seu. Assim, ao dizer “boa noite” você sai do quarto deles e não eles do seu. Outrora, recomendava-se, se possível, que o bebé fosse passado para o quarto dele entre os 4-6 meses de idade.

Atualmente, porque alguns estudos relacionados com a síndrome de morte súbita do lactente revelaram que os lactentes que dormem no quarto dos pais até aos 9 meses apresentarem menor risco de morte súbita, alguns pediatras recomendam que a mudança para o quarto próprio do bebé seja feita por volta dos 9 meses de idade.

Em qualquer dos casos, após os 4-6 meses se o bebé ficar no vosso quarto, crie-lhe um espaço próprio, separado por exemplo por um biombo, dentro do vosso quarto.

Nunca suspenda o ritual noturno para punir um mau comportamento. Mesmo que o tenha posto de castigo, não o deixe adormecer com a noção de que está zangado com ele.

Encoraje seu filho a ter um brinquedo, um travesseiro ou uma coberta de estimação. Isso dar-lhe-á segurança, mesmo porque você não estará ao lado dele na hora de dormir, ou de acordar.

Como já referido, os ciclos de REM/NREM são interrompidos por despertares breves, em que há movimentos. Evite falar ou tocar no seu filho nestes momentos, caso contrário está a favorecer o seu acordar.

Após os 6 meses de idade evite alimentá-lo à noite (uma vez que o seu filho não precisa de comer à noite para crescer).

Se acha que o seu filho tem medo, deixe a porta aberta e uma luz de presença, preferencialmente de cor vermelha.

Se o seu filho for muito teimoso e não ceder facilmente, mantenha as recomendações anteriores sem ameaças, sem demonstrar nervosismo e sem impaciência. Estes últimos só reforçam o comportamento indesejável. Há especialistas que, em casos excecionais, recomendam fechar a porta do quarto da criança dizendo-lhe por exemplo: “Quando ficares quietinho eu abrirei a porta”.

Caso ela se levante e saia do quarto, deve repetir-se a operação. Muitos pais temem que ao fechar a porta do quarto possam estar a assustar o seu filho, produzindo um trauma psicológico.

Há consenso entre os especialistas de que é preciso impor limites à criança. A barreira física representada pela porta fechada é uma maneira adequada de estabelecer esse limite. Claro está que os pais podem falar com a criança através da porta fechada. Assim ela saberá que estão presentes.

E se o bebé não dormir toda a noite?

Há ainda situações em que a criança adormece sem dificuldade, mas durante a madrugada acorda, indo para a cama dos pais. Nestes casos, a criança deve ser imediatamente reencaminhada para a sua cama/seu quarto, logo que seja notada. Isto evita que o comportamento tenda a repetir-se. Ela aprenderá a estar só e a não comprometer a privacidade dos pais. Assim, quando a criança acordar a chorar, procure fazer uma visita rápida a seu berço.

Não acenda a luz, não a pegue no colo. Murmure alguma coisa, acaricie e se for o caso troque a fralda e saia. Com sua presença pode até ocorrer que ela aumente o choro. Deixe-a chorando e não retorne em menos de 5 minutos. Repita o que fez da primeira vez e novamente saia. Aumente em 5 minutos o intervalo de tempo a cada visita.

Seu filho vai chorar menos noite após noite e em uma semana deverá estar acostumado a ficar só. Lembre-se que o choro prolongado, meia hora ou mais, não fará mal ao bebé nem física nem psicologicamente.

Aprender a adormecer e a voltar a dormir sozinha é um direito da criança. Não devem os pais assumir a tarefa e impedir que elas o exerçam.

Estabeleça a hora de acordar.

 Algumas dicas para crianças mais crescidas/adolescentes:

Evite as bebidas com cafeína (ex: Coca-Cola® , café, chá preto, chocolate, etc.) depois da hora de almoço.

Evite a nicotina, o álcool e as drogas.

Evite atividades que podem despertar próximo da hora de deitar (por exemplo, estudo intenso, jogos de computador, escrever mensagens no telemóvel ou discutir).

Evite as luzes intensas à noite.

Assegure a exposição à luz intensa ao acordar de manhã.

Autorize o sono durante os fins de semana, mas não mais do que 2-3 horas para além da hora habitual de acordar (pois isto perturba o relógio circadiano).

Evite ficar a pé durante toda a noite (por exemplo, para estudar).

Por tudo o que foi referido, o pais devem ser:

  • realistas (as crianças acordam muitas vezes de noite);
  • flexíveis (não há uma solução perfeita);
  • consistentes e razoáveis (evitar sestas grandes, brincadeiras excitantes à noite, etc.); e devem usar rituais (banho, história, objeto transição, etc.);
  • Aprender a dormir de noite é uma tarefa relacionada com a maturação do sistema nervoso central , com o temperamento do bebé, e com a aprendizagem.

Em caso de dúvida, ligue para a SAÚDE 24 (808 24 24 00) ou contacte o Pediatra dos seus filhos. 

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (1  votos, média:   5,00  em 5)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *