Bebés > Crescimento do bebé > Desenvolvimento do bebé

As “primeiras vezes” de um bebé com um ano

primeiras vezes

Andar, falar... e que mais?

Os primeiros meses de vida de um bebé estão repletos de descobertas para os papás e, sobretudo, para as abobrinhas que, num estalar de dedos, passam de bebés recém-nascidos, de colo, totalmente dependentes de nós, a estar a meio caminho de se tornarem crianças que já não precisam (tanto!) do nosso colo.

Conheça as próximas “primeiras vezes” do seu filhote e quais as conquistas que se aproximam! Os especialistas apontam os 12 meses como a idade de referência para que o bebé alcance alguns marcos de desenvolvimento, tais como o nascimento dos dentes, andar e falar. Cada bebé é único, e mesmo que a sua abobrinha demore mais a alcançar estes marcos, não se preocupe e dê-lhe o tempo de que ela precisa para crescer bem e, mais importante do que tudo, feliz.

Estas “primeiras vezes” são apenas marcos indicativos: algumas crianças desenvolvem o seu potencial motor mais rapidamente, enquanto outras são capazes de fazer “gracinhas” mais cedo do que o previsto.

O mais importante é aproveitar todas as fases, e esta também!

Primeiros dentes

primeiros dentes

O vosso bebé tem sido uma paz de alma até agora? É provável que a partir do sexto mês de vida a vida se complique. É que o processo de nascimento dos dentes é responsável por algumas das maiores tormentas que podemos passar enquanto pais.

A boa notícia? O ciclo de nascimento de um dente completa-se relativamente depressa.

A má notícia? Entre o 4º e o 30º mês de vida do bebé, é suposto que lhe nasçam 20 dentes.

Há quem defenda que o nascimento dos dentes – na verdade, o rompimento das gengivas – é a experiência fisicamente mais dolorosa da vida; não nos parece porque, simplesmente, não temos memória dela. Não é por isso de estranhar que os bebés se sintam incomodados e que este seja, normalmente, o primeiro momento difícil e desafiante da paternidade.

Apesar de doloroso, é um processo natural que começa geralmente por volta dos 6 meses e que está completo até aos 3 anos. Estes dentes de leite devem ser cuidados com a máxima atenção desde o primeiro dia – ao contrário do que os pais possam pensar, por ser temporários, a sua importância é fundamental, já que o seu estado contribui diretamente para o saudável crescimento (e nas posições corretas) dos dentes definitivos.

Os dentes de leite são também essenciais para o desenvolvimento da fala e para que as abobrinhas aprendam a fazer uma mastigação adequada. Por outro lado, ensinar as crianças a lavar os dentinhos desde bebés vai fortalecer a sua consciência da importância de uma saúde oral cuidada.

Para ajudar os bebés – e os pais – a lidar com esta fase difícil do nascimento dos dentes, o medicamento homeopático Camilia® é a solução. O pior é depois, quando eles começarem a morder. Aí não há solução que nos valha…

Primeiros passos

primeiros passos

Prepare o coração… e as pernas!

Quando o bebé começar a dar os primeiros passos, é provável que nada nem ninguém o consiga parar. É necessário preparar a casa para as descobertas da criança, ainda sem maturidade para distinguir os perigos que a cercam (ai, os cantos da mesa!, ai, as tomadas!, ai, as portas dos armários!), mas com muita coragem e curiosidade para explorar.

É interessante ver que esta é também uma fase em que a criança, ainda pouco moldada pelo que a sociedade dita, revelaArtigo muita perseverança e obstinação, não desistindo às primeiras quedas. Ainda que tropece, voltará a tentar caminhar. Nunca algum bebé terá pensado “isto não é para mim”.

Como pais, podemos insistir, incentivar e, claro, ajudar, mas vale a pena deixá-los desenvolver desde cedo a certeza de que podem conseguir sozinhos os seus objectivos.

Primeiras palavras

primeiras palavras

A esta altura do campeonato, as abobrinhas saberão dizer “mamã”, “papá” e pouco mais. Alguns inventam variações engraçadas de palavras para expressar sono ou fome, mas só a partir dos 12 meses de idade estão reunidas as condições para ter em casa um autêntico papagaio palrador.

(Em chinês, mas palrador ainda assim).

A linguagem entrará em expansão quanto mais incentivada a criança for a falar, e mais exposta estiver a diferentes palavras. Evite falar com a criança de forma demasiado “abebezada”, leia-lhe bastantes livros, converse com ela como o faria com um adulto. Estará a estimular o desenvolvimento cognitivo do seu bebé de forma bastante rápida, fácil e intuitiva.

Também o pode ensinar a responder a coisas simples, mesmo que através de gestos. “Onde é que está a boca do bebé? Está aqui!”, e aponte para a boca. A criança vai assimilar rapidamente o significado de boca e de outros vocábulos, em jogos semelhantes.

A partir de agora, a criança funcionará mais do que nunca por repetição. Cuidado com os palavrões… e prepara-se para ouvir falar do “au-au” ou do “miau” horas a fio.

Primeiras brincadeiras

primeiras brincadeiras

Brincar é a profissão do seu bebé, por isso garanta que a sua criança não fica a dever dias à casa, e proporcione-lhe um ambiente de crescimento divertido e cheio de estímulos.

Ao contrário do que se possa pensar, não são necessários muitos brinquedos para puxar pela imaginação dos bebés, entretê-los e ajudar no seu desenvolvimento.

É na interacção com os outros que as abobrinhas vão encontrar maior espaço para se desenvolverem, sempre entre gargalhadas. Continue a apostar em brincadeiras como o “cucu!”, o “onde está… a mamã, o papá e o piriquito”, e ofereça-lhe objectos para a mão.

Com um ano, as crianças adoram empurrar e atirar coisas para o chão, e também de fazer barulho. Aproveite aquilo que tem em casa. Panelas de vários tamanhos podem ser jogos para encaixar da maior para a mais pequena… ou então uma super bateria improvisada. Sempre sob supervisão ?!

Não espere que a criança brinque sozinha durante muito tempo: o seu nível máximo de concentração bate os 5 minutos.

Primeiras experiências gastronómicas

primeiras experiências comida

A partir dos 12 meses, a criança pode comer alimentos diversos e há liberdade para explorar com conta, peso e medida, muitas das iguarias que nós adultos conhecemos.

É nesta fase que pode oferecer também a colher ao bebé, forrar as paredes de casa, e deixá-lo tentar ganhar destreza para que coma sozinho… sem criar, depois de algumas tentativas menos bem conseguidas, um cenário digno da 3ª Guerra Mundial.

A aposta numa alimentação variada e equilibrada deve manter-se, já que a abobrinha continua a precisar dos nutrientes específicos para a etapa em que se encontra.

Primeiras noites completas

noites completas

Alguns bebés regulam o seu ciclo de sono muito cedo, podendo dormir noites inteiras a partir dos seis meses de idade. No entanto, é mais comum que aconteça a partir dos doze meses, quando estão já mais crescidos, o suficiente para aprender a “desligar” o organismo e a estabilizar as suas rotinas.

Opte por estabelecer uma rotina que demonstre claramente ao bebé que a hora de dormir se aproxima. A criança será capaz de depreender que está na hora do óó, depois de brincar com a mãe, tomar banho com o pai e jantar com os dois, se o fizerem todos os dias da mesma forma e dentro do mesmo horário.

Primeiras mostras de personalidade

mostras de personalidade

Algumas birras, os primeiros “nãos”, o demonstrar de preferências, são traços da personalidade da criança que começam a formar-se nesta altura e que vão levar a alguns momentos de desespero – para os pais, mas acima de tudo para eles, que estão ainda a descobrir a si próprios, e também o mundo à sua volta.

Nem sempre será fácil, mas o melhor é tentar manter a calma. Ao contrário daquilo que possa parecer, a capacidade de compreensão das abobrinhas com um ano é já desenvolvida o suficiente para que entendam as nossas repreensões, até pelas expressões faciais e pelos diferentes tons de voz que podemos utilizar para demonstrar insatisfação com alguma atitude sua.

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *