O que é o Baby Led Weaning e os seus benefícios para o bebé - Pumpkin.pt

O que é o Baby Led Weaning e os seus benefícios para o bebé

Baby Led Weaning

Descubram tudo o que precisam saber sobre o Baby Led Weaning e os seus diversos benefícios para o bebé.

A alimentação é sempre importante, independentemente da idade que se tenha. No entanto, num bebé, é particularmente relevante, pois o seu corpo encontra-se numa constante transformação, sempre a um ritmo acelerado. A passagem do leite para as papas e sopas e, depois, para os sólidos são etapas importantes. A este propósito, há um método famoso que tem causado grande furor, o Baby Led Weaning (BLW). 

Já ouviram falar? Sabem do que se trata? Nós explicamos tudo!

A origem do Baby Led Weaning

Gill Rapley criou o conceito de Baby-Led Weaning (BLW) em 2005, tendo sido nessa altura que deu a conhecer pela primeira vez este método que serve de alternativa à alimentação tradicional. 

Rapley trabalhou com crianças por mais de duas décadas, tendo começado a sua carreira como enfermeira-parteira, no Reino Unido.

Foi na sequência de um mestrado sobre alimentação infantil que a autora criou o termo oficial “baby-led weaning”, apresentando ao mundo uma nova abordagem alimentar, um método revolucionário que adquiriu grande popularidade, conquistando adeptos em todo o mundo.

O que é o Baby Led Weaning?

Mas, afinal, de que estamos a falar, quando falamos de BLW? 

Este é um método revolucionário que fomenta desde cedo (a partir dos 6 meses de vida) a auto alimentação no bebé. 

Assim, a introdução da alimentação complementar (a amamentação deve ser mantida pelo menos até aos 2 anos de idade) é feita autonomamente pelo bebé que leva à boca com as mãos a comida que lhe suscita interesse. 

Ou seja, o bebé mantém uma atitude ativa ao longo da sua alimentação, o que não acontece no método tradicional.

O papel do bebé no BLW

Um bebé com mais de 6 meses de vida e que já tenha adquirido competências motoras está apto a ser introduzido neste método Baby-Led Weaning de alimentação complementar.

Assim, basta que tenha a capacidade de se manter sentado e um desenvolvimento motor normal que lhe permita alcançar os alimentos e levá-los à boca. O bebé também deve estar capacitado para comer sozinho (succionar, mastigar e deglutir).

O papel dos adultos no BLW

Os pais, familiares e cuidadores devem supervisionar esse momento. Manter uma atitude passiva e observadora. Deixar o bebé decidir quais os alimentos que pretende ingerir. Os adultos não devem forçar o consumo de mais alimentos, pois o bebé só deve consumir a quantidade que deseja. 

Também não se deve apressar a refeição, devendo ser a criança a definir o tempo de que necessita para comer. Os adultos devem confecionar os alimentos adequadamente e apresentá-los adequadamente ao bebé, isto é, com as características apropriadas para cada alimento:

  • devem ter a textura correta; 
  • serem firmes e moles ao mesmo tempo; 
  • possuírem o tamanho adequado, devendo ser ligeiramente maiores do que o punho do bebé; 
  • apresentar o formato indicado, normalmente em palitos ou lâminas.

Princípios básicos do BLW

O Baby Led Weaning rege-se por princípios essenciais que definem e caraterizam este método. Eis algumas das regras a seguir:

  • Os alimentos devem ser apresentados em pedaços pequenos (mas que não estejam triturados ou ralados).
  • O bebé tem autonomia, ou seja, ele é que escolhe o alimento em que agarra).
  • O bebé gere a alimentação ao seu ritmo, provando e ingerindo os alimentos, sem intromissão dos adultos.
  • O processo de BLW deve ser sempre supervisionado por um adulto, que só deve interferir em caso de necessidade. 

Benefícios e vantagens do BLW

A popularidade do método Baby Led Weaning deve-se, em grande parte, aos muitos benefícios e vantagens que este método guarda. Tome nota de alguns deles: 

  • integra o bebé na refeição familiar;
  • concede mais autonomia ao bebé;
  • deixa o bebé mais confiante e feliz no momento das refeições;
  • oferece ao bebé as condições ideias para ele desfrutar por si próprio de comida boa e nutritiva;
  • deixa o bebé explorar os seus sentidos, pois ele agarra a comida e toca-a, observa-a, cheira-a e prova-a;
  • gera menos tensão familiar à mesa;
  • torna mais rápida a adaptação às características dos alimentos e aos seus diferentes sabores, texturas e aromas;
  • estimula as competências motoras;
  • reduz o risco de obesidade, pois o bebé come mais fruta e legumes).

Principais preocupações e receios dos pais com o método BLW

Há maior risco de asfixia?

Todos os pais ou cuidadores têm na asfixia do bebé uma preocupação constante. Por isso, pensar que as crianças colocam pedaços de comida na boca, pode deixar os pais com ainda mais receios. 

A alimentação é uma experiência que requer que, depois da colocação dos alimentos na boca, exista uma coordenação entre mastigação, deglutição e respiração. Um bebé com 6 meses ainda não tem desenvolvidas todas as capacidades motoras indispensáveis para a ingestão (em segurança) dos alimentos. 

No entanto, existe um estudo que revelou que o risco de asfixia é idêntico, tanto durante as refeições de bebés que praticam o Baby Led Weaning, como de bebés que seguem o método tradicional. Portanto, em ambos os casos é essencial garantir um acompanhamento e uma supervisão atentos.

Há um maior risco de desenvolver carência a nível energético? 

A auto-alimentação é feita pelo bebé ou pela criança, sendo ela a demonstrar o interesse e a escolher os alimentos a consumir. Mas será que essas escolhas são acertadas e asseguram as necessidades energéticas e nutricionais do bebé/criança? 

Este é outro receio comum. Ninguém quer ver o desenvolvimento do seu bebé comprometido. Porém, o segredo está na forma como se apresenta a refeição. Deve fazer sempre uma oferta diversificada e alargada de alimentos, colocando à disposição o bebé pelo menos um alimento de elevada densidade energética.

Há um maior risco de gerar carência em ferro? 

Sabemos que, a partir dos 6 meses de idade,  o leite materno deixa de ser capaz de suprir todas as necessidades nutricionais do bebé, nomeadamente no que diz respeito aos níveis de ferro. 

No método tradicional, existe a introdução de alimentos complementares, através de papas de cereais infantis e purés com carne ou peixe, refeições fortificadas com ferro (e sem açúcar adicionado). Algo que também é essencial que aconteça com o BLW, na autoalimentação do bebé/criança. Nesta fase, deve existir um consumo de frutas e de hortícolas ricas em ferro.

Recomendação final sobre o BLW

A refeição do bebé deve ser feita num local com espaço, de modo a que ele consiga chegar facilmente aos alimentos, enquanto está num ambiente agradável e sem distrações.

É ainda importante e sensato que os pais façam uma formação em suporte básico de vida, de modo a poderem atuar de forma rápida e eficaz em caso de asfixia, independentemente dos bebés seguirem ou não o BLW.

Também lhe pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

<