Bebés > Alimentação do bebé > Amamentação

Leite materno e leite artificial aprenda a utiliza-los da melhor maneira

Leite materno leite artificial aprenda utiliza-los melhor maneira

Descubra como alimentar devidamento o seu bebé quer seja com leite materno ou leite artificial com o  Dr. Armando Fernandes.

Existem fortes evidências de que o aleitamento materno se trata do meio mais normal e natural de “nutrir” (nutricional, imunológica e emocionalmente) o recém-nascido, em termos de crescimento e de desenvolvimento psicomotor.

Outras vantagens têm sido referidas, nomeadamente: melhor resposta a vacinação, recuperação mais rápida nas doenças, menos problemas ortodônticos e fonoaudiológicos associados ao uso do biberão, redução da incidência e da gravidade das doenças infeciosas e alérgicas, diminui o risco de síndrome de morte súbita do lactente, fornece benefícios económicos e sociais para a família, contribui para a saúde da mãe, reduzindo o risco de cancro da mama e do ovário, ajuda o útero a recuperar seu tamanho normal, reduzindo o risco de hemorragia, etc.

Outras vantagens para a mãe: o aleitamento materno torna conveniente as viagens e as mamadas noturnas, a depressão pós parto é reduzida, é mais prático e menos trabalhoso, o leite está pronto, não necessita preparação, o leite não se estraga e não é preciso preocupar-se com a falta de espaço de armazenamento, etc.

Estudos muito recentes, referem também que o leite materno promove um melhor desenvolvimento cognitivo e emocional da criança (com melhor desempenho em testes de desenvolvimento psicomotor) e uma redução da incidência de diabetes, de doença de Crohn, de obesidade, de doenças cardiovasculares e de doença celíaca.

Assim, ofereça, sempre que possível, peito em horário livre (sempre que lhe pareça que o bebé tem fome!). Com o tempo, vai aprendendo a reconhecer os sinais de fome seu bebé.

Durante a 1ª semana de vida, o recém-nascido “normal” com peso inferior a 2500 g deve fazer intervalos inferiores a 3-4 horas (estabelecidos pelo Pediatra que deu a alta da maternidade), enquanto que o recém-nascido com peso superior a 2500 g deve fazer intervalos inferiores a 4 horas durante o dia e inferiores a 5 horas durante a noite. Após a 1ª semana de vida, o recém-nascido normal com peso superior a 2500 g, pode fazer intervalos, entre as mamadas, de 4 horas durante o dia e de 6-8 horas durante a noite.

Para que o bebé pegue convenientemente na mama, é necessário que a boca do bebé esteja bem aberta, “com o lábio inferior ligeiramente para fora” e que se aproxime do mamilo ligeiramente por baixo, abocanhando também uma grande parte da aréola mamária. Por sua vez, o mamilo deve tocar o céuda-boca e estimular o reflexo da sucção.

Para que este momento corra a preceito, coloque o dedo indicador por cima da aréola e os restantes dedos por debaixo da mesma ou a mão por baixo do peito e o polegar em cima da aréola.

Em cada mamada, os dois seios devem ser oferecidos e a passagem do 1º para o 2º deve ocorrer quando a mãe sente que o 1º está a ficar vazio (como regra, a duração da mamada em cada seio é de 10-15 minutos). Tempos de mamadas muito prolongados favorecem, por maior ingestão de ar, os soluços e as cólicas no bebé, além de macerarem os mamilos da mãe.

Enquanto dura o aleitamento materno, a mãe deve beber muita água e ingerir entre 0,5-1 litro de leite por dia, evitar o chá, o café e as colas, e abolir o consumo de bebidas alcoólicas e do tabaco.

Existem poucas contraindicações para o aleitamento materno (infeção HIV e/ou tuberculose ativa e/ou toxicodependência materna(s), galactosemia do recém-nascido, etc.).

Alguns medicamentos tomados pela mãe podem passar para o recém-nascido através do leite e, também, podem contraindicar o aleitamento materno (citostáticos, sais de ouro, sulfonamidas, cloranfenicol, tetraciclinas, anticonvulsivantes, etc.).

Se o peito não for possível ou desejável, contacte o Pediatra Assistente para lhe aconselhar o leite mais adequado ao seu filho. Atualmente, porque a prevenção ativa das alergias se justifica para todos os lactentes, a maioria dos Pediatras sugere uma fórmula adaptada e hipoantigénica, por exemplo as chamadas fórmulas para lactentes HA1 (NUTRIBÉN NATAL HA; NAN HA 1; NIDINA HA 1; SIMILACAdvance HA; ENFALAC HA; NUTRILON HA 1; APTAMIL HA1 (com Immunofortis); NOVALAC HA 1; S26 HA,etc.).

Fiquem tranquilos, pois o aleitamento artificial é uma alternativa segura e eficaz para o desenvolvimento normal do seu filho.

Como se prepara o leite artificial?

Antes de mais, lave as mãos e esterilize todos os materiais*.Depois, siga as instruções inerentes à quantidade de pó e água a adicionar: coloque a água previamente fervida no biberão, seguidos da dose recomendada de leite em pó (30 ml de água = 1 colher medida rasa de pó; 60 ml de água = 2 colheres medidas rasas de pó; etc.).

Tape o biberão com o disco protetor, enrosque o anel e agite até a mistura ficar homogénea. Por fim, verifique a temperatura, deitando umas gotas sobre o seu pulso. Se preferir, prepare vários biberões para dar ao longo do dia (usar dentro de 24 horas) – guarde-os no frigorífico – e nunca utilize as sobras ou o leite que já foi aquecido.

A noite, se dá biberão, prepare-o antes de deitar e deixe-o, num termo, na mesa de cabeceira. Assim, não terá de se levantar e esperar que fique à temperatura ideal.

Se o bebé chorar quase sempre antes de 2-2,5 horas de intervalo, provavelmente estará com fome:

Se alimentado ao peito => contacte o Pediatra do seu filho!

Se alimentado a biberão => aumente 30 ml de água e 1 colher rasa de leite em pó ao biberão

Quanto à escolha dos biberões e das tetinas, estudos recentes revelam que as tetinas anatómicas da NUK (NUK First Choice) são as que melhor imitam o mamilo materno. Por isso, devem ser preferidas.

Um bebé bem alimentado tem geralmente oito ou mais micções por dia e progride bem de peso.

A urina é geralmente transparente e de aspeto citrino, mas, poderá conter quantidade esageradas de uratos, pelo que pode manchar as fraldas de alaranjado ou de rosado, que é “normal” e não deve ser confundido com sangue. Neste caso, deve oferecer-se mais leite ao bebé.

Evite alimentar o bebé deitado, porque pode engasgar-se ou aumentar o risco de otites

Nos primeiros tempos de vida, normalmente não é necessário oferecer água no intervalo das refeições, porque a água contida no leite é suficiente para as necessidades líquidas do bebé. Contudo, por indicação médica pode dar-lhe água em caso de muito calor** , febre, vómitos ou diarreia.

Se pretender colher leite do peito e guardá-lo para posterior utilização, tenha em consideração o seguinte:

a) Colha o leite da forma mais limpa possível e guarde-o imediatamente a < 3º-4º C.

b) O leite deverá ser consumido em 24 horas, caso contrário, deverá ser congelado a – 20ºC.

c) Uma vez aquecido o leite não deverá voltar a ser congelado.

 

Em caso de dúvida, ligue para a SAÚDE 24 (808 24 24 00) ou contacte o Pediatra dos seus filhos.