Bebés > Alimentação do bebé > Amamentação

Ingurgitamento mamário: O que é, consequências, como prevenir e aliviar

ingurgitamento

O ingurgitamento mamário é algo comum acontecer nos primeiros dias de amamentação. Provoca dor e algum incómodo, mas aqui ensinamo-la a prevenir e tratar.

Logo nos primeiros dias após o parto, o colostro transforma-se lentamente em leite maduro. Essa transformação resulta, muitas vezes, no ingurgitamento mamário – caracterizada pela acumulação de leite nos condutos lácteos (os responsáveis pelo transporte do leite materno dos lóbulos – onde é produzido o leite – até ao mamilo). Quando isso acontece há que prevenir e tratar esta condição para evitar que a situação evolua para uma mastite.

Ingurgitamento mamário

O que é e porque acontece

O ingurgitamento mamário é uma inflamação dos seios da recém-mamã que surge quando  o aumento da produção de leite não consegue circular pelas condutas que percorrem o peito – causam uma paragem do leite nos conductos lácteos, que transportam o leite materno dos lóbulos até ao mamilo.

De acordo com fontes do Hospital da Luz, esta designação é aplicada quando os seios da recém-mãe ficam duras (como pedras), muito volumosas, vermelhas e quentes.

Normalmente, acontece entre o terceiro e o quarto dia após o parto (aproximadamente9, quando se dá a subida do leite.

Sintomas

Os principais sintomas do ingurgitamento mamário são:

  • Seios cheios de leite e, consequentemente, muito duros, sendo as mamas, para a mulher, o equivalente a um “pedragulho” gigante na zona do peito;
  • Aumento do volume dos seios;
  • Presença de zonas vermelhas no peito;
  • Mamilos achatados;
  • Desconforto ou dor nas mamas;
  • Pode haver extravasamento de leite;
  • Febre.

O fato dos mamilos ficarem achatados dificulta a tarefa do bebé ao impedir que façam uma boa pega (veja como amamentar), dificultando assim a amamentação. Além disso, a congestão dos condutos lácteos faz com que o leite saia com maior dificuldade, o que obriga o bebé a ter que se esforçar mais para mamar. Por esse motivo, é aconselhável que antes de amamentar, a mulher retire um pouco de leite com as mãos ou com uma bombinha de leite.

Consequências do ingurgitamento mamário

Quando se dá a subida do leite, os seios ficam quentes e pode senti-los pesados. Caso o leite não saia, pode produzir esta inflamação, dificultando a saída do leite. Ao acumular-se cria, como já vimos, o ingurgitamento mamário. Este traz diversas consequências:

  • Gera sensações negativas na mãe, que pode levar a mãe a, mesmo que inconscientemente, começar a rejeitar a amamentação, por causa da dor que esta causa e devido à frustração pelo facto do bebé não fazer uma boa pega na mama.
  • Ao mesmo tempo, podem surgir alguns edemas nas mamas, impedindo a drenagem. Isto era e podem originar uma mastite, cujos sintomas são febre, arrepios, mal-estar, enjoos, vómitos, etc.
  • Além disso, o bebé tem mais dificuldade em alimentar-se, porque devido ao endurecimento dos seios, o leite não flui tão bem o, que, juntamente com o facto de o mamilo ficar mais plano, dificulta a tarefa do bebés. Assim, o bebé tem que fazer um esforço muito maior para mamar e não consegue extrair o leite suficiente.
  • Ainda pelo facto de o bebé não conseguir fazer uma pega, é possível que apareçam gretas nos seios da mulher. Desta forma, o bebé cansa-se mais facilmente, fica mais irritadiço, ficando inquieto e chora mais.

Como prevenir

Algumas formas de prevenção do ingurgitamento mamário são:

  • Iniciar a amamentação o mais cedo possível.

É aconselhável que a mulher comece a dar de mamar imediatamente depois do nascimento, assim que se dá o primeiro contacto entre a mãe o bebé.

  • Evitar o uso de alguns suplementos alimentares, uma vez que estes podem resultar num aumento de produção de leite.

Além disso, deve certificar-se que o bebé está a esvaziar totalmente a mama após cada mamada, o que irá diminuir o risco de sofrer de ingurgitamento mamário. Assim, a amamentação será tão benéfica para a mulher quanto para o bebé.

  • Mudanças dietéticas

A alimentação na amamentação é muito importante, porque impulsiona o sistema imunológico e ajuda a combater algumas infeções fúngicas. Além de comer mais frutas e legumes, as mães que amamentam devem continuar a tomar multivitaminas pré-natais no período pós-parto, mas ninguém melhor para a ajudar neste assunto do que o seu médico.

  • Pomada calmante

Uma pomada suave é um dos tratamentos que pode fazer em casa de forma a evitar o ingurgitamento mamário.
As pomadas calmantes para os mamilos estão disponíveis online ou nas lojas. É aconselhável comprar cremes que têm compostos de camomila ou calêndula, porque mantêm a área do mamilo húmida e vão reduzir a coceira e a dor.

  • Amamentar sempre que o bebé quiser.

Como aliviar?

Para que a mulher alivie o sofrimento causado por esta condição da fase inicial da amamentação e para que possa continuar a amamentar o bebé, há algumas dicas que pode experimentar:

  • Solução salina

Para remover o bloqueio, mergulhe os mamilos numa solução de água salgada e morna. Misture 2 colheres de chá de sais de Epsom numa chávena de água quente e deixe arrefecer um pouco. Depois, mergulhe o mamilo três ou quatro vezes por dia até que o ducto fique desbloqueado e o leite saia com naturalidade.

  • Aplicar calor húmido no peito antes de dar de mamar.

Ou, como sugere a rede hospitalar do Hospital da Luz,massajar os seios com a ponta dos dedos, em movimentos circulares, em direção ao mamilo. Desta forma, favorece ajuda à dilatação dos condutos e, consequentemente, que o leite flua com maior facilidade.

  • Aplicar frio logo após a mamada.

Assim, irá diminuir a dor e a inflamação. Pode, por exemplo, colocar uma bolsa de gel gelada envolvida num pano sobre o peito ou tomar um banho de água fria, direcionando os jactos de água diretamente sobre as maminhas.

  • Tomar um anti-inflamatório ou um analgésico para diminuir a dor.

É importante ter em conta que esta medicação não prejudique a qualidade do leite materno e deve ser sempre receitada pelo médico assistente.

  • Extrair o leite de forma manual num ambiente quente e húmido, ou com uma bombinha de leite.
  • Utilizar um soutien de amamentação que não aperte, que se ajuste ao volume do peito, sem aros e 100% de algodão.
  • Reduzir a ingestão de líquidos enquanto estiver com ingurgitamento.

Dicas:

  • Caso o ingurgitamento evolua para mastite, saiba o que como atenuar os sintomas e tratá-la;
  • Se estiver com dificuldades na amamentação, é importante saber que existem linhas de apoio que têm precisamente o intuito de a ajudar – SOS Amamentação e outras associações de apoio à amamentação.;
  • Para uma amamentação tranquila, aconselhamos ainda uma almofada de amamentação para que, tanto o bebé como a mãe, fiquem mais confortáveis e aproveitem o momento da amamentação com descontração;
  • Pode e deve usar discos de amamentação. Estes irão proporcionar-lhe um maior conforto, além de evitar que segregue leite e suje a roupa;

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *