Bebés > Alimentação do bebé > Amamentação

Discos de Amamentação: o que são, porque e quando os deve utilizar, os diferentes tipos

discos de amamentação - mãe a colocar disco

Foto: Rebento

Os discos de amamentação são um artigo muito importante para as futuras mamãs ou recém-mamãs. Saiba o que são, porque e quando os usar, os diferentes tipos e os cuidados a ter no artigo!

Os discos de amamentação cosntituem um artigo indispensável para as mulheres que amamentam os seus bebés e constituem um aliado no combate às infeções dos seios.

Discos de amamentação

O que são?

São pequenos discos – de algodão, tecido, etc.-, concebidos através de diversos materiais e com diferentes formatos que, colocados entre o soutien e a mama, absorvem as perdas de leite (frequentes entre os horários das mamadas), evitando assim que a roupa da mulher fique molhada ou manchada.

Porque os deve utilizar?

Desde as últimas semanas de gravidez que o corpo da mulher se começa a preparar para a tarefa que aí vem: a dar comida ao seu bebé. Visto tratar-se de um recém-nascido, o seu alimento é o leite materno – quando a mãe o tem.

O processo de produção de leite começa, como referimos atrás, na gravidez, e é normal que o leite gerado seja superior àquele que o bebé, efetivamente, ingere. Isto porque a produção do leite é estimulada não só quando o bebé mama, como também quando chora ou tem contacto corpo a corpo com a mãe.

Como a produção de leite materno ainda não está estabilizada, existem picos em que a mulher tem muito leite e que, muito provavelmente, o bebé não vai ingerir. É, por esse motivo, que os discos de amamentação devem ser utilizados – para as perdas excessivas que causam incómodo na mãe. Caso contrário, é importante deixar o peito e os mamilos respirarem, para que não fiquem com feridas (fissuras, ou em casos mais graves, mastites), fruto do contacto frequente com o leite absorvido pelos discos.

Tipos de discos de amamentação

discos de amamentaçãoDentro do mercado de discos de amamentação existem dois tipos:

  • Os reutilizáveis.

Estes têm diversas vantagens, como o facto de serem ecológicos, uma vez serem feitos com materiais biológicos, como o algodão; mais baratos – se equacionar um produto para longo prazo (pode utilizar numa segunda ou terceira gravidez, por exemplo); são respiráveis e, como o próprio nome indica, reutilizáveis, bastando para isso serem lavados (a 40ºC, sem recorrer ao uso de amaciadores e preferindo os detergentes biodegradáveis).

Contudo, como em tudo, existe a outra face da moeda. Um maior investimento e a necessidade de haver uma lavagem regular são as desvantagens deste tipo de discos de amamentação.

  • Os descartáveis.

Já, os discos de amamentação descartáveis são bastante mais práticos e convenientes, porque se usa apenas uma vez e se pode deitar fora e também por representar um menor gasto mensal. No entanto, não são eco-friendly, acabando por gerar mais lixo num planeta em que a necessidade de se preocupar com as questões ambientes é cada vez mais emergente e necessária. E, além disso, constituem um maior gasto a longo prazo. Mas o pior de tudo é a presença de químicos e plásticos na sua composição, o que pode aumentar o risco de sofrer infeções.

Quais os cuidados a ter com os discos de amamentação?

Independentemente de optar por discos reutilizáveis ou descartáveis existem cuidados a ter para se proteger. Sempre que o disco estiver cheio ou sujo, deve ser mudado. Se não o fizer pode aumentar as hipóteses de contrair uma infeção nos mamilos, seja pelos resíduos que ficam ou pela humidade a que o peito está sujeito.

Atenção que as infeções mamárias não criam só desconforto e irritação, como também podem provocar mastite e outras inflamações graves.

É de referir que existem outras opções para proteger a sua maminha das malditas bactérias e infeções que daí podem advir, como a concha de amamentação.

Dicas:

  • Se estiver com dificuldades nesta nova tarefa de mãe – a amamentação-, é importante referir que existem linhas de apoio para pedir ajuda, tal como a SOS Amamentação, e, além disso, saiba que pode ainda recorrer a várias associações de apoio à amamentação;
  • Veja ainda o artigo “Amamentação: Tudo o que precisa de saber”;
  • Desfrute desta fase e, caso tenha dúvidas ou questões, não se isole e peça ajuda!

Se encontrar alguma incorreção contacte-nos por favor.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *