O regresso ao trabalho e a amamentação: dicas úteis - Pumpkin.pt

O regresso ao trabalho e a amamentação: dicas úteis

Aleitamento Materno e Amamentação no Regresso ao Trabalho

É um sentimento agridoce, o de voltar à vida profissional com uma mini abobrinha em casa. Contamos como tornar esta transição mais tranquila!

O regresso ao trabalho depois de ser mãe é motivo de ansiedade para muitas mulheres. É normal – equilibrar as necessidades do pequenote e a vontade de voltar para perto dele com as responsabilidades e rotina profissional é um desafio e pêras. Às vezes parece que nos desdobramos em duas! Surge no nosso coração de mamã todo o tipo de perguntas: “será que ele fica bem sem mim?”; ”como é que ele vai adormecer?”; “como vou conciliar o regresso ao trabalho e a amamentação?”; “será que vai beber o meu leite?” ou “será que vou conseguir extrair leite?” .

Não se preocupem: temos algumas dicas para que este regresso seja o mais tranquilo possível, tanto para a mãe como para o bebé!

Regresso ao trabalho e amamentação: dicas úteis

1. Planear o regresso ao trabalho

Esta é a chave para continuar a amamentar o seu bebé e diminuir a ansiedade nesta fase. Este planeamento tem de ter em conta vários fatores, como a idade do bebé na altura do regresso. se está em amamentação exclusiva ou já introduziu a alimentação complementar e a quem ficará entregue.

2. Preparar o stock de leite

É importante ter um stock de leite materno disponível para alimentar a abobrinha – afinal, não vamos estar sempre junto a ela para amamentar.

Não é necessário fazer um grande stock de leite, nem começar muito cedo. Se extrair 100ml de leite todos os dias, ao fim de um mês terá cerca de 3 litros de leite armazenado.

Depois, à medida que o tempo vai passando, poder ir repondo o stock com o que for extraindo durante as pausas no trabalho com a bombinha de leite.

A melhor maneira de armazenar LME (leite materno extraído) é congelando. Há várias opções de recipientes para este efeito – use o que achar mais cômodo para si!

Pode optar por congelar quantidades diferentes para evitar desperdícios ou pode juntar leite refrigerado a leite já congelado para obter a quantidade desejada.

3. Saber como e quando oferecer o leite ao bebé

O leite materno extraído deve ser oferecido ao bebé sempre que pedir ou mostrar sinais de fome. Relativamente à forma de dar, o biberão é apenas uma das opções!

Se o bebé até então nunca mamou num biberão e não o quer introduzir na sua rotina, não se preocupe, pode sempre dar-lhe o leitinho através da palhinha, seringa, copo, colher ou utilizar o leite materno para fazer as papas do bebé (a partir dos 4 ou 6 meses de idade, dependendo do que o pediatra aconselhar).

4. Manter a produção de leite

Durante a jornada laboral deve fazer uma pausa a cada 3 horas para extrair leite, ou se não for possível, retire leite sempre que for oportuno. Quando estiver junto ao bebé, dêem-se ao luxo de aproveitar os belos momentos de amamentação, pertinho um do outro.

As mamadas noturnas são de grande importância nesta altura, já que a prolactina está mais activa durante o repouso da mãe. Faça o possível para amamentar a mini abobrinha também durante a noite!

5. Repor o stock de leite

O leite extraído durante o horário de trabalho pode ser o suficiente para o bebé no dia seguinte. Nesse caso, não precisa de congelá-lo. Por outro lado, pode preferir ir dando o leite mais antigo ao bebé. Assim, vai fazendo a reposição com o leite extraído no trabalho.

Lembre-se que a lei prevê que a mãe que amamenta, independentemente da idade do bebé, tenha redução de horário para esse efeito – a licença de amamentação. Deve comunicar a sua intenção de usar este direito à entidade empregadora antes do seu regresso.

Consulte a informação disponível no site da CITE, onde encontra também uma calculadora que a ajudará a perceber quantas horas tem direito.

Estar informada e planear o seu regresso à actividade profissional reduz o stress, tanto na mamã, como no bebé.

Quer seja na conciliação do regresso ao trabalho e da amamentação ou noutra fase, é normal surgirem dúvidas. Procure ajuda de uma assessora de lactação ou conselheira em aleitamento materno ou recorra a linhas de apoio, como a SOS Amamentação ou a associações de apoio à Amamentação.

Também vos pode interessar:

Este artigo foi útil para si?

1 Estrela2 Estrelas3 Estrelas4 Estrelas5 Estrelas (No Ratings Yet)
Loading...

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *