Será que as grávidas devem comer por dois? A Nutricionista Clínica Iara Rodrigues explica-nos como comer de forma equilibrada.

Quase todas as minhas amigas futuras mamãs dizem que uma das melhores partes de se estar grávida é o poderem comer o que quiserem, ter desejos absurdos e ter como desculpa, se forem criticadas, de que estão a comer por dois.

No outro dia a minha amiga Catarina respondeu ao marido: “Não me censures. Estou a alimentar a nossa Carolina. Já agora, passa-me essa mousse de manga se faz favor”. Na altura todos na mesa se riram, mas a verdade é que não é preciso comer por dois.

A minha amiga não precisa de comer “este mundo e o outro” só porque está grávida.

A recomendação é a mesma para qualquer fase da vida: manter uma dieta equilibrada, deixar de lado os excessos (doces, gorduras e sal) e apostar em frutas frescas, legumes, verduras, carnes magras, ovos, leite – e os seus derivados – e água (pelo menos, oito copos diários).

Não é porque está grávida que tem que seguir a máxima de “se alimentar por dois” e aumentar a quantidade de alimentos que consome. Estamos cansados de ouvir como a obesidade faz mal ao corpo e prejudica o nosso organismo. Na gravidez, não é diferente.

Comer por dois pode trazer algumas complicações como a diabetes gestacional, parto prematuro, dificuldades no parto, entre outros problemas graves.

Ora aqui ficam umas quantas dicas para que se alimente de forma equilibrada durante estes 9 meses:

1. Coma 5 a 6 vezes/dia, tendo o cuidado de manter sempre os mesmos horários;

2. Faça a ingestão diária de alimentos com fibras (vegetais folhosos, frutas com cascas, cereais integrais, verduras cruas);

3. Evite o uso rotineiro de doces: gelados, bolos, bolachas, chocolates, refrigerantes, açúcar, mel, melaço e similares. Para que o doce possa fazer parte de sua alimentação é necessário que seja estabelecido o cálculo adequado por um profissional: o Nutricionista;

4. Evite alimentos ou preparações muito condimentadas, ricas em sal e de grande valor calórico (maionese, mostarda, molhos concentrados, ketchup, etc.);

5. Evite alimentos enlatados com alto teor de gorduras saturadas e sal (fiambre de porco, presunto, linguiça, salsicha, presunto, mortadela, etc.);

6. Evite o uso indiscriminado de alimentos dietéticos, pois existe uma recomendação de quantidade máxima permitida de adoçantes. Antes de usá- los, procure orientação;

7. Preferira o uso de leite meio-gordo / magro em substituição do leite gordo evitando, assim, o excesso de gordura saturada;

8. As carnes deverão ser magras. Prefira carnes de aves (sem pele) e os peixes, principalmente, o salmão, o atum e a sardinha, que devem ser ingeridos 2 a 3 vezes por semana;

9. Evite a ingestão de grandes quantidades de líquidos durante as refeições. Entretanto, a ingestão adequada de líquidos nos intervalos é essencial e deve ser de cerca de 1,5L/dia;

10. Evite adicionar açúcar aos líquidos como sumos, iogurtes, leite, chás e outros.

Coma bem. Coma para si e para o seu bebé. Mas não coma por dois… pelo vosso bem.

 

Dra. Iara Rodrigues

Nutricionista Clínica

 

Barrigas de Amor