A depressão pós-parto materna é uma situação que costuma acontecer às recém mamãs. Tal como todas as depressões, esta também convém ser tratada o mais rapidamente possível. Aprenda com o Dr. Armando Fernandes a identificar a tratar esta patologia.

A primeira consulta do seu filho com o Pediatra Assistente deve ser feita o mais cedo possível,de preferência durante a primeira semana após a alta da maternidade.

Conselhos para a Mamã

Estar em casa com um novo bebé é simultaneamente excitante e assustador. Há muitas coisas novas a aprender e novas rotinas a estabelecer.

Cuidado com a “depressão pós-parto materna”! É uma situação que costuma acontecer às novas Mamãs, geralmente ligeira, mas que pode tornar-se numa doença séria. Um estudo recente (2009) da University of California, Estados Unidos da América, revela que o aparecimento da depressão pós-parto poderá estar relacionado com níveis altos de uma hormona, a corticotrofina, produzida pela placenta durante a gravidez.

Se se começar a sentir muito triste e chorona, sem achar graça às “caretas” do seu bebé, por favor, peça ajuda ao seu médico assistente.

Além do referido, também contribuem para a depressão pós-parto vários fatores, nomeadamente: porque se sente demasiado cansada para ser a super Mamã que imaginava que ia ser; porque se acha mais gorda e mais feia (o que não é verdade!); porque tem medo que o seu companheiro já não goste tanto de si; por falta de algumas vitaminas ou minerais, entre outros.

Fique sabendo que é uma coisa que acontece a muitas, muitas Mamãs. Mas não se esqueça de que tem no seu bebé o maior admirador do mundo, que o seu cheiro, o seu calor e a sua voz são quase tudo o que o bebé precisa para ser feliz. Por isso, aqui vão alguns truques para se sentir melhor:

1. Descanse o mais que puder. O seu corpo fez um grande esforço durante o parto e precisa de tempo para recuperar.

2. Faça uma alimentação variada, poucas gorduras, mas muita fruta e verduras. Não faça dieta - deixe isso para mais tarde. Preferencialmente faça 5-6 pequenas refeições por dia.

3. É importante incluir o exercício físico quando está a tentar recuperar o seu peso anterior à gravidez. Procure uma atividade que aprecie e que se ajuste ao seu estilo de vida. E importante que consulte o seu médico antes de recomeçar uma atividade desportiva após o nascimento do seu bebé.

4. Procure pôr-se bonita: arranje-se, e arranje a casa logo de manhã. Isso ajudá-la-á a ficar mais bem disposta.

5. Tente sair com regularidade para dar um passeio a pé. O ar fresco e o exercício fazem maravilhas na revitalização de uma cabeça cansada e “stressada”, e ajudam a perder peso. A maioria dos bebés também aprecia muito estes passeios.

6. Se o seu bebé não a deixa dormir, regule os seus sonos pelos dele e lembre-se que a situação vai melhorar.

7. Por vezes, a “depressão pós-parto materna” pode necessitar de apoio psicológico (psicoterapia) e/ou terapêutica farmacológica (apenas prescrita pelo médico assistente ou psiquiatra da mãe (puérpera); pode ser necessário interromper o aleitamento materno!).

· Conselhos para o Papá

1. Não tenha medo dê pegar no seu bebé, ele é resistente. Basta ter atenção a algumas regras básicas:

2. Cuidado com o pescoço do bebé - ele ainda não segura a cabeça. Quando o deitar ou o levantar, procure manter apoiado todo o tronco e a cabeça.

3. Nunca abane/sacuda a cabeça do bebé - o seu cérebro e tão frágil que basta bater nas paredes do crânio para lhe provocar lesões graves. Avise os irmãos para quando lhe forem pegar.

4. Quando o bebé já andar em pé, nunca lhe puxe só por um braço. Acontece, com certa facilidade, o encaixe do braço sair da articulação (“pronação dolorosa do antebraço”). Não é grave, mas tem que se voltar a pôr no sítio.

5. Sabe os bebés gostam muito de colo. Os especialistas hoje pensam que os mimos nunca são demais. Os bebés acarinhados crescem mais felizes e mais seguros de si, mais capazes de enfrentar o mundo lá fora e de se tornarem uns crescidos com sucesso. Contudo, não deixe lhe dar bons hábitos, como o dormir no(a) berço(cama).

6. Estudos recentes, referem também a “depressão pós-parto paternal” (cerca 10% dos casos, com maior incidência entre os 3 e os 6 meses pós-parto), que se correlaciona com adepressão pós-parto materna. Se necessário, peça ajuda.

Em caso de dúvida, ligue para a SAÚDE 24 (808 24 24 00) ou contacte o Pediatra dos seus filhos.