Aprenda as 31 dicas que todas a mamãs precisam de saber sobre bebés, com o Dr. Armando Fernandes .

1. Nos primeiros dias, o bebé pode perder até 7-10% do peso ao nascimento, recuperando o peso de nascimento até aos 15 dias.

2. Os soluços, os espirros e os sustos são comuns e habitualmente não têm significado patológico. Os soluços ocorrem geralmente após as refeições e são provocados por contrações do diafragma (músculo envolvido na respiração) significando um fortalecimento do mesmo. Muitas vezes os soluços passam quando se deixa o bebé mamar um pouco.

3. O número e a consistência das dejeções (fezes) são variáveis. As primeiras fezes do bebé são bastante peculiares: escuras e pegajosas, conhecidas como mecónio. Aos poucos as fezes tomam a cor de gema de ovo, característica das fezes do bebé alimentado ao peito. Inicialmente o bebé costuma evacuar após cada mamada (cerca de oito vezes ao dia), o que vai diminuindo pouco a pouco.

A maioria dos bebés quando alimentados somente com leite materno costumam por volta do primeiro mês ficar por 2 a 3 dias sem evacuar, sendo perfeitamente normal pelo aproveitamento integral do leite materno, não havendo restos a serem eliminados. Consulte o Pediatra se as fezes forem bolinhas secas e duras. Por vezes, as fezes são muito líquidas e esverdeadas (após contacto com o ar), mas não devem ser interpretadas como diarreia (i.e., “falsa diarreia do aleitamento materno”).

4. Durante a noite, tente que o quarto onde está o bebé fique em silêncio, para não lhe perturbar o sono. Se o bebé não dormir no seu quarto, compre uns intercomunicadores e, assim, poderá deixar a porta do quarto fechada. Se tem mais filhos, peça-lhes para não fazerem barulho.

5. Coloque no candeeiro da mesa de cabeceira uma lâmpada que emita luz vermelha de baixa potência: é indicada para não incomodar o bebé durante as mamadas noturnas e a mudança das fraldas pois é a cor que menos suprime a produção de melatonina.

6. Estabeleça uma rotina e siga-a diariamente. É a melhor forma de “educar” o bebé nas questões do sono e das refeições.

7. Mesmo que as “maminhas” fiquem inchadas (hiperplasia mamária; cerca de 10% dos casos), não as esprema, porque pode provocar-lhe infeção.

8. Nas meninas, devido a flutuações hormonais, pode haver como que um fluxo menstrual (hemorragia vaginal; cerca de 1% das meninas). A “leucorreia mucoide” (corrimento vaginal esbranquiçado) aparece em cerca 50% das meninas e não necessita de qualquer cuidado (além da higiene habitual).

9. O bebé pode ter vários motivos para chorar: fome, calor, frio, desconforto, dor, etc. Face ao choro do bebé, vá para junto dele, no sentido de saber o que se passa, e tome nota dos métodos eficazes para o acalmar: dar-lhe de mamar, embalá-lo, dar-lhe um banho relaxante, levá-lo a passear ou pôr música a tocar, e não o sobrecarregar com visitas, ruí-dos e demasiado movimento à sua volta.

Em simultâneo, ensine-o a consolar-se sozinho. Quando o choro tem que ver com dores ou mal-estar, aquele é mais monocórdico e parecido com um gemido.

10. O banho de imersão pode ser dado desde o 1º dia de vida ou pode ser iniciado mais ou menos dois dias após a queda do cordão umbilical. Neste último caso, o bebé deve ser limpo por partes com loção ou óleos próprios para recém-nascido (Creme Lavante da Uriage®, Aveeno Dermo-Oil®, óleo de amêndoas doces, etc.).

O banho de imersão deve ser diário, durando menos de 5 minutos e com a água entre 36-36,5ºC (se necessário, use um termómetro apropriado ou o cotovelo para verificar a temperatura da água). A partir da 3ª-5ª semana de vida do prematuro e da primeira semana do recém-nascido de termo, poder-se-á recorrer a banhos emolientes com óleos para bebés (Aveeno Baby Colloidal® , Aveeno Dermo-Oil® , Stelatopia Óleo de Banho® , Stelatopia Creme Lavante® , etc.).

Quando despe o bebé, ele sente-se desprotegido e com frio, pelo que é perfeitamente natural que chore nos primeiros banhos; em breve, aprenderá a apreciá-los e a descobrir novas sensações. Proporcione-lhe um ambiente quente, acaricie-o, profira palavras de carinho e transmita-lhe calma e boa disposição. Saiba ainda que o banho deve acontecer numa altura em que o bebé esteja relaxado e sem fome. Deite sempre primeiro a água fria e vá juntando, aos poucos, a água quente (faça esta operação com o bebé fora da banheira). Geralmente, bastam 8-10 cm de água.

Uma vez preparada, a água do banho passa-se sobre a pele com a ajuda de uma esponja muito suave, de compressas ou diretamente com as mãos. Jamais deixe o bebé sozinho dentro de água! No final, seque-o bem, em especial nas preguinhas mais fechadas.

Durante o primeiro ano não há contraindicações em dar banho ao bebé após a refeição, desde que seja rápido e sem variações bruscas de temperatura. Contudo, se movimenta muito o seu filho após as refeições, há maior probabilidade de ele bolçar e... lá se vai a água limpa!

11. Hidratação da pele. Após o banho, a pele do bebé deve ser massajada e hidratada com óleos ou cremes hidratantes/emolientes (1er Lait da Uriage® , Aveeno Dermo-Oil® , Aveeno Creme Lenitivo Emoliente® , óleo de amêndoas doces, etc.) para repor a camada protetora.

12. Os olhos são geralmente cinzentos à nascença e a verdadeira cor dos olhos do seu bebé pode não se definir até aos 6 meses de idade. Ele pode ainda apresentar um edema nas pálpebras, sendo vulgar o estrabismo. Os olhos devem ser limpos com compressas de gaze esterilizadas (uma para cada olho) embebidas em soro fisiológico (Uriage Isophy® , Libenar® , etc.) ou água fervida morna, de fora para dentro e para baixo.

É frequente a observação de manchas vermelhas dentro dos olhos (hemorragias sub-conjuntivais) ou inchaço nas pálpebras após o nascimento, que desaparecem sem a necessidade de nenhum cuidado especial. Alguns bebés apresentam uma irritação ocular denominada conjuntivite química pelo uso de uma medicação protetora nos olhos logo após o nascimento, que cede com a limpeza freqüente com água fervida morna ou soro fisiológico. Se não houver melhoria dentro de 24-48 horas, deve consultar o Pediatra.

13. Os pavilhões auriculares (orelhas) devem ser limpos com algodão e/ou compressa embebidos em soro fisiológico ou água tépida, não esquecendo as dobras e a parte de trás das orelhas. Os cotonetes servem apenas para limpar a parte externa do pavilhão auricular externo (não deve introduzir cotonetes no canal auditivo!).

14. Para a limpeza, hidratação e desobstrução nasal aplique soro fisiológico no nariz (várias aplicações por dia, especialmente antes das mamadas). Geralmente, a desobstrução nasal ocorre quando o bebé tosse e/ou espirra. Se houver secreções visíveis, podem remover-se com a ponta de um cotonete em movimentos circulares, lentos e suaves. Por vezes, pode ser necessário aspirar o nariz com aspirador nasal (por exemplo com Narhinel® , Nasalmer® , etc.)

15. O cordão umbilical deve ser limpo com uma compressa de gaze esterilizada embebida em álcool a 70% Vol (sem cetrimida) (não usar ligaduras, cintas ou adesivos), após cada muda de fralda (pelo menos 3 xs/dia) e até 72 horas após a sua queda ou até ao 10º dia de vida. Geralmente, o coto umbilical cai entre o 7º e o 14º dia de vida. Para o manter seco é conveniente deixar o bebé sem fralda algum tempo e para não se molhar com urina, convém deixá-lo fora da fralda (com fraldas descartáveis podem corta-se com uma tesoura). Antes, acreditava-se que aplicar moedas sobre o umbigo seriam benéficos nos primeiros dias de vida.

No entanto, nada deve ser colocado sobre a área umbilical pelo risco de contaminação. Também, as faixas utilizadas no passado são actualmente contraindicadas. Pouco tempo antes ou logo após a queda do umbigo, é comum que o coto umbilical sangre um pouco, podendo aparecer pontos vermelhos no algodão ou na fralda.Mesmo após a queda do coto umbilical (que ocorre geralmente entre o sétimo e o décimo dia), a limpeza com álcool a 70% Vol e algodão deve ser mantida, como disse, pelo menos dez dias, já que o tecido ainda está em fase de cicatrização.

Algumas manifestações clínicas podem demonstrar que o coto umbilical necessita de atenção especial. Se a região ao redor do coto apresentar coloração excessivamente avermelhada, secreção exagerada ou forte sangramento, é sinal de que o pediatra deve ser consultado.

16. A região da fralda pode ser limpa com água morna, óleo de amêndoas doces ou leites de limpeza (Uriage 1ère Eau® , Aveeno Baby Milk® , D’Aveia Dermo-Oleo® ), da frente para trás. O uso exagerado de água nesta zona pode provocar irritação/maceração do períneo. Para prevenir e reduzir as assaduras pode utilizar um creme barreira “não oclusivo”, designados por “creme para prevenir” (Aveeno Baby Barrier® , A-Derma Eryase® , Bepanthene Pomada®, Uriage 1er Change® , Halibut Derma Mousse Hidratante e Protectora® , Halibut Derma Creme® , Baby SebaMed Creme Balsâmico® , Chicco Pasta Lenitiva®, etc.).

Fora de casa, poderá limpar a região da fralda com toalhetes adequados (Toalhetes 1ère Eau® da Uriage, Chicco Salviettine® , etc.).

17. A descamação cutânea é frequente nos primeiros dias de vida, principalmente nos recém-nascidos pós-termo (gestação > 42 semanas), desaparecendo gradualmente com a aplicação de óleos ou cremes hidratantes/emolientes (Aveeno Dermo-Oil® , Aveeno Creme Lenitivo Emoliente® , 1er Lait da Uriage® , etc.).

18. Cerca de 2/3 dos recém-nascidos apresentam icterícia fisiológica (coloração amarelada da pele e das mucosas por acumulação de bilirrubina devido à imaturidade hepática) nos primeiros dias. Em certas circunstâncias pode ser necessário fazer análises (hemoglobina, hematócrito, doseamento da bilirrubina, etc.) e, eventual fototerapia.

A fototerapia age na pele do bebé transformando a bilirrubina em um isómero que será eliminado através das fezes e da urina. Infelizmente, alguns bebés podem apresentar “icterícia patológica” que requer maiores cuidados, inclusivamente exsanguinotransfusão (que é a substituição de uma parte importante de sangue do bebé).

19. Alguns Pediatras defendem que as unhas não devem ser cortadas antes dos 20 dias de vida porque, dada a origem cartilaginosa das unhas, há uma maior probabilidade de ficarem danificadas. Contudo, se utilizar uma tesoura adequada (com pontas arredondadas) ou uma lima especial para bebés, após o banho quando as unhas estão mais moles, pode cortá-las ou limá-las desde os primeiros dias pelo menos uma vez por semana.

20. O vestuário deve ser simples, confortável, fácil de usar, lavar e passar, por exemplo os bodies que se abrem à frente são uma boa opção. Em contacto com o corpo, vista-lhe apenas roupa de algodão, de preferência não tingida. Para o restante vestuário pode optar no verão pelo algodão, pela cambraia ou pelo linho, e no inverno pela malha polar.

Em qualquer dos casos, os acabamentos interiores devem ser de boa qualidade e deve evitar os botões, os laços, as fitas e os acessórios afins. Quando estiver a mudar a roupa ao bebé, não o dispa completamente, mas vá substituindo as peças pouco a pouco (porque os bebés pequenos não gostam de estar despidos!).

Por uma questão de economia, procure comprar peças unissexo (se tiver mais filhos, estes poderão “herdar” a roupa do irmão mais velho) e não muito justas (para lhe servirem mais tempo). Depois de comprar a roupinha do bebé, descosa as etiquetas das peças que têm de ser lavadas à mão para prevenir irritações na pele delicada do seu filho.

Em relação às restantes peças de vestuário, leia sempre as indicações que estão nas etiquetas e não se esqueça que devem ser lavadas separadamente da roupa da família. Coloque as roupas do bebé num cesto à parte e, sempre que possível, seque-as ao ar.

21. Como se sabe se o bebé tem frio ou calor? Vista-o com a mesma quantidade de roupa com que estiver vestida, pois tudo depende da temperatura ambiente, mas convém que se lembre que as mãos e os pés estão habitualmente frios, logo, para saber se está corretamente agasalhado, coloque a mão no tronco, no pescoço ou na nuca e acrescente ou retire os agasalhos em conformidade.

A temperatura ideal do quarto deverá estar entre os 18-21 °C. Evite as correntes de ar e os ambientes húmidos.

Os bebés prematuros apresentam algumas vezes uma maior dificuldade de manter uma temperatura adequada, daí se dizer que os prematuros são mais friorentos, porém na verdade eles também são mais sensíveis as altas temperaturas, ficando febris e até mesmo desidratados com maior facilidade.

22. Os produtos de higiene/beleza/perfumes, se possível, devem ser da mesma marca; contudo, tenha em atenção que várias empresas comercializam produtos semelhante com marcas diferentes e consequentemente preços muito diferentes. Evite misturar produtos de várias marcas, exceto se prescritos pelo Pediatra. Os perfumes ou colónias devem ser aplicadas na roupa e não diretamente na pele do recém-nascido.

23. O colo, o mimo e os carinhos são indispensáveis para o bom desenvolvimento do bebé. Pegue-lhe ao colo, faça-lhe festas e converse com ele. Proporcionar uma boa estimulação sensorial, desde o primeiro dia, favorecerá o desenvolvimento do seu cérebro, a sua inteligência, a sua criatividade, o seu equilíbrio emocional, entre outros.

Evite beijar-lhe a cara e as mãos, porque pode transmitir-lhe micróbios causadores de doença. Contudo, não confunda o colo, o mimo e os carinhos com os “bons hábitos” (por exemplo, dormir na “cama do bebe”) e, mais tarde, com a disciplina.

24. Um dos instintos básicos do recém-nascido é o da sucção, um reflexo necessário para se alimentar, bem como para se sentir confortável e calmo ou, simplesmente, obter prazer. O uso da chupeta é desaconselhado até que a amamentação esteja bem estabelecida (quando o bebé tiver uma boa pega e mamar com vigor (a maioria dos pediatras recomenda que a introdução da chupeta não deve ser efetuada antes das três a quatro semanas de idade), mas deverá ser dada apenas no intervalo das refeições, preferencialmente por ocasião do sono diurno e/ou noturno.

Sabe-se que a chupeta pode estimular a sucção no caso de crianças que tenham este reflexo fraco e estudos recentes sugerem que pode prevenir a síndrome da morte súbita do lactente (valores entre 61 a 92%). Compre, preferencialmente, chupetas de borracha (por exemplo: Chicco Chupeta Dorme Seguro® 0m+)

25. Não permita que a sua criança permaneça numa sala onde se esteja a fumar. Se fumar, deixar de fumar será um “ato de amor” para com seu filho!

26. Durante o primeiro mês tente limitar ao máximo o contacto do bebé com pessoas que não pertençam à família mais chegada e evite sair de casa com ele para locais onde existam pessoas que possam estar doentes (para diminuir o risco de infeção). Para diminuir o risco de transmissão de doenças é obrigatório lavar as mãos antes de tocar no bebé. Caso esteja constipada, além da lavagem das mãos, deve utilizar uma máscara facial protetora para diminuir a probabilidade de infetar o seu bebé. Após o primeiro mês, leve o seu bebé a passear em locais não poluídos.

Evite ambientes com fumo, mal ventilados ou superlotados, muito ruidosos. Outros conselhos: Não o deixe demasiado tempo dentro do carrinho de passeio, principalmente se for de cor escura, uma vez que tende a absorver o calor; Certifique-se que conduz o carrinho de costas viradas para o sol, para evitar que o bebé fique encandeado com a luz; Escolha ruas com pouco movimento e não fique muito tempo fora de casa com o bebé, sobretudo se passear pela cidade.

Para proteção da pele do frio ou do vento pode aplicar cremes protetores (Cold Cream® da Uriage, etc.).

27. O Programa Nacional de Diagnóstico Precoce, vulgo “teste do pézinho” serve para diagnosticar a Fenilcetonúria (1 em cada 10 000-20 000 nascimentos, diminuição ou ausência de uma enzima, tratamento através  da restrição dietética de fenilalanina) e para outras doença hereditárias do metabolismo (Leucinose, Citrulinemia, Tirosinemias tipo I e II, Aciduria Arginino-Succínica, Acidurias Orgânicas (PA , MMA, IVA, 3HMG, GA I e 3-MCQ e défices da ß-oxidação dos ácidos gordos (MCAD, VLCAD, LCHAD, CPT I, CPT II, MADD e CUD) e para o Hipotiroidismo Congénito (1 em cada 4 000 nascimentos, diminuição ou ausência de hormonas tiroideias, tratamento com suplementação hormonal).

O diagnóstico precoce deve ser a partir do 3º dia de vida e se possível até ao 6º dia no centro de saúde, caso não tenha sido realizado no hospital ou na maternidade. O resultado pode ser consultado na Internet quatro semanas após a picada no pézinho em: http://www.diagnosticoprecoce.org, esperando-se que seja: “Normal” ou “Em curso”. Caso o resultado seja positivo, geralmente é comunicado aos pais entre a segunda e a terceira semanas de vida do bebé, antes de ser colocado na Internet.

Neste caso, deve contactar, logo que possível, o Pediatra do seu filho e/ou seguir as instruções que lhe são fornecidas pelos profissionais do Instituto de Genética Médica Jacinto de Magalhães. Apesar de não ser obrigatório, o teste do pezinho estará sempre dependente da vontade dos pais.

Porém, dado que para todas as doenças estudadas existe tratamento, as vantagens para o bebé e para todo o ambiente em que está inserido são claras e evidentes, pelo que não deverá de deixar de realizar o teste do pezinho ao seu filho!

28. Uma diminuição da audição significativa bilateralmente pode ocorrer em 0,3–0,4% dos recémnascidos normais e em 2–5% dos recém-nascidos das unidades de cuidados intensivos neonatais.

Por isso, a Academia Americana de Pediatria* e o “Consenso Europeu para a a Deteção Precoce do Défice Auditivo dos Recém-Nascidos”** recomendam que todos os recém-nascidos devem fazer rastreio auditivo através das emissões otoacústicas (ou outros testes, nomeadamente potenciais evocados auditivos do tronco cerebral) até aos 3-6 meses, preferencialmente durante a permanência do recém-nascido na maternidade.

Idealmente o diagnóstico de surdez deve ser realizado antes dos 3 meses de idade e o início da reabilitação antes dos 6 meses de idade, de forma minimizar o impacto que a surdez pode causar quer na criança quer na família.

29. Tenha sempre preparada uma bolsa materna, que inclua fraldas, toalhetes, uma chupeta esterilizada e uma muda de roupa.

30. Mantenha sempre ligado o atendedor automático do telefone. Deste modo, se não puder atender - algo que acontecerá com muita frequência - saberá quem ligou e poderá retribuir a chamada.

31. Da primeira lista do recém-nascido deve constar:

· Produtos:

  • Creme de lavagem para corpo e cabelo
  •  Leite hidratante

  •  Óleo corporal

  •  Creme protetor para o rabinho

  •  Fraldas

  •  Álcool a 70% Vol (sem cetrimida)

  •  Soro fisiológico (unidoses)

  •  Toalhitas

  •  Outros:

· Acessórios:

  •  Termómetro para o banho

  •  Termómetro para a febre

  •  Cotonetes para bebé

  •  Tesoura para unhas

  •  Lima para unhas

  •  Escova para cabelo

  •  Compressas esterilizadas

  •  Compressas não esterilizadas

  •  Biberões e tetinas

  •  Escovilhão

  •  Chupeta

  •  Outros:

ALERTA

Se temperatura rectal > 38 ºC, respiração acelerada (persistentemente > 60 ciclos/minuto com o bebé a dormir/calmo), recusa alimentar, vómitos, diarreia, choro inconsolável ou irritabilidade durante > 2 horas ou “o bebé não parece bem”, procure imediatamente ajuda pediátrica.

Em caso de dúvida, ligue para a SAÚDE 24 (808 24 24 00) ou contacte o Pediatra dos seus filhos.